Fechar
Buscar no Site

Cleones Cunha e Alexandra Castro são eleitos para o Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão

O Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão ganhará novos membros. Foram eleitos quarta-feira (28) à noite, em Assembleia Geral Ordinária do IHGM para sócios efetivo e correspondente, respectivamente, o desembargador Cleones Cunha, professor do Curso de Direito da Universidade Federal do Maranhão e presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão e a pesquisadora e genealogista portuguesa Alexandra Pereira de Castro, autora de vários trabalhos sobre genealogia e história dos cemitérios portugueses.

Cleones Cunha é especialista em Direito Canônico, possuindo doutorado, sendo autor de livros sobre o tema, como o livro “Relações Igreja-Estado”, entre outros e irá ocupar a Cadeira de Nº 25, patroneada por Celso Magalhães.

Segundo o presidente do IHGM, professor Euges Lima, os novos sócios eleitos receberão em breve correspondência oficial, comunicando suas admissões e dando-lhes as boas vindas, além de instruções para posse, no caso de sócio efetivo.

Cleones Carvalho Cunha, nascido em 10 de fevereiro de 1958, em Tuntum, Maranhão, graduou-se bacharel em Direito pela Universidade Federal do Maranhão, em 1981. Foi professor do Colégio Santa Teresa, em São Luís (MA); subdiretor-geral da Secretaria do Tribunal de Justiça do Maranhão; chefe de gabinete da Presidência deste órgão e diretor da Corregedoria Geral da Justiça.

Aprovado em primeiro lugar em concurso do Ministério Público Estadual, foi promotor de Justiça da Comarca de Pindaré-Mirim, entre os anos de 1983 e 1984. Igualmente, logrou os primeiros lugares nos concursos para professor da Universidade Federal do Maranhão, em 1985 e, no ano seguinte, para o cargo de juiz de Direito.

Na magistratura, exerceu suas funções judicantes nas Comarcas de Vitorino Freire, São Bento, Coroatá e São Luís. Já na capital, foi assessor da Presidência e membro do TRE-MA. Naquela Corte Eleitoral, foi corregedor-regional Eleitoral, no período de 1993 a 1997. Em 1998, assumiu as funções de juiz corregedor da Corregedoria Geral da Justiça.

Foi promovido por merecimento para o cargo de desembargador em 10 de novembro de 1999. É Mestre em Direito Canônico pelo IPDC-RJ/Universidade Gregoriana, membro da Sociedade Brasileira de Canonistas e da Academia Maranhense de Letras Jurídicas. Bacharel em Teologia pelo Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (IESMA)/ Faculdade Católica do Maranhão.

Exerceu, no Tribunal de Justiça do Maranhão, a função de supervisor-geral dos Juizados Especiais. Em fevereiro de 2005, assumiu a direção da Escola Superior da Magistratura do Maranhão, tendo a dirigido por quatro anos. Foi corregedor-geral da Justiça no biênio 2012/2013. É presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão no biênio 2016/2017.

Alexandra Maria Ferreira Braga de Sousa Louro Pereira de Castro, nascida a 22 de outubro de 1963, natural da freguesia de São João do Souto em Braga.

Membro da Associação da Nobreza Histórica de Portugal, membro da Academia Portuguesa de Ex-Libris, membro da Associação Portuguesa de Genealogia, membro (sócio agregado) do Instituto Português de Heráldica, membro da Academia de Letras e Artes de Portugal, como Acadêmica Correspondente na Classe de Letras; a Accademica d’Onore” da Real Academia Sancti Ambrosii Martyris, Itália e mestre da Confraria dos Vinhos Verdes.

Tem dedicado-se nos últimos dez anos à Investigação na área da Genealogia e História Familiar. Em Dezembro de 2012, publicou o livro “História e Genealogia Familiar Famílias Convergentes do Visconde de Vila Nova de Famalicão”. Neste livro documento a estreita ligação por linha reta da autora ao Brasil, onde o Visconde de Vila Nova de Famalicão, José Joaquim Machado, Comendador da Ordem de Christo, Fidalgo da Casa Real, proprietário, capitalista e negociante, seu Trisavô paterno, exerceu uma importante atividade comercial no Rio de Janeiro, bem como, o também seu Trisavô materno, Comendador Fortunato Jorge Guimarães “Barateiro”, proprietário, capitalista e negociante que foi na cidade da Bahia, Brasil.

Estuda também a árvore genealógica do senhor Artur Anselmo Pereira de Castro, por linha reta e varonil em terceira geração originada no século XIX é também descendente de Alberto Magno Pereira de Castro que desenvolveu atividade comercial em Manaus e sobrinho do Embaixador Manuel Anselmo que exerceu as funções de Cônsul de Portugal no Recife. Bem como descende de D. Natália Emília Raposo, bisneta paterna do General Raposo, que participou no “Grito do Ipiranga”.

Em julho de 2016, publicou uma obra sobre o Campo Santo de Braga, no seu centésimo quadragésimo sexto ano de existência, “Memorial do Cemitério de Monte D’Arcos de Braga Arte Tumular e seus Eméritos”.

O livro contém o Prefácio de Sua Excelência Reverendíssima, Senhor D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, Nota Introdutória do Exmº Senhor Dr. Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga e o Posfácio do Exmº Senhor Dr. Artur Anselmo Pereira de Castro.

Trata-se de um livro pioneiro no país e no mundo, onde são retratadas personalidades de mérito, de grande relevo religioso, social, cultural e político que fizeram história na cidade e no país. Fidalgos da Casa Real, Comendadores, beneméritos, Arcebispos, Presidentes da Câmara, Ministros, escritores, poetas, entre muitos outros.

Atualmente encontra-se a concluir um estudo sobre personalidades notáveis do século XIX, pertencentes a sua família, bem como um estudo evocativo sobre Sesmarias do Maranhão, nomeadamente relativas à Ilha das Canárias, Maranhão.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens