Fechar
Buscar no Site

PIB da Índia cresceu 7,3% de outubro a dezembro de 2015

Folha de SP – A economia da Índia cresceu 7,3% no terceiro trimestre do ano fiscal em curso (outubro-dezembro de 2015) em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (8).

As expectativas dos analistas consultados pela agência Bloomberg eram de um crescimento de 7,1%.

O governo também revisou em alta os dados do crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) no segundo trimestre, que foi de 7,7%, três décimos a mais que na estimativa anterior.

Os dados confirmam a posição da Índia como detentora do maior crescimento entre as principais economias mundiais.

O governo do primeiro-ministro, Narendra Modi, aposta num crescimento de 7,6% no ano fiscal em curso, que termina no final de março.

A China, que durante anos funcionou como motor da economia mundial, se encontra em plena desaceleração.

O PIB chinês cresceu 6,8% no período outubro-dezembro e 6,9% em 2015, seu mínimo histórico nos últimos 25 anos.

Brasil e Rússia, que junto a China, Índia e África do Sul formam o grupo Brics de potências emergentes, se encontram em recessão.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

4 respostas para “PIB da Índia cresceu 7,3% de outubro a dezembro de 2015”

  1. Antonio Lima disse:

    No nosso país varonil, Brasil, só os banqueiros andam rindo à toa com lucros astronômicos que auferiram em 2015 e continuam realizando ganhos de causar inveja…

    É uma maravilha, enquanto isso o povo se esbalda nas festividades momescas e os usineiros já preparam mais um bote ao erário, vão socializar uma “dívida” de oitenta bilhões, isso mesmo, 80 bi.

  2. JESUS DOS SANTOS disse:

    Enquanto isso, o PIB do Brasil cresce como rabo de cavalo, ou seja, pra baixo.
    Pior: o governo da “presidanta” está reeditando as mesmas medidas que já levaram o país pro buraco, isto é, incentivar o consumo via empréstimo bancário, esquecendo de investimento para incrementar a produtividade.

    O resultado mais lógico disso é que pessoas que vão tomar empréstimo com vistas ao consumo, vão acabar ainda mais endividadas.Por outro lado, empréstimo para investimento por particulares em qualquer segmento econômico, sem que tenha tenha estudo de mercado ou experiência, não têm como se sustentar por período superior a 1 e/ou 2 anos.

    O SEBRAE já divulgou dados desalentadores sobre gente que se acha empreendedor, mas que, sem a devida assistência, acaba fracassando na atividade que escolheu para desenvolver um negócio.

    Quanto aos lucros de bancos, eles estão ainda maiores nos governos petistas, que diziam exatamente que era nos governos tucanos que os banqueiros lucravam muito…

    E, a despeito de lucros de bilhões por semestre, os bancos já cortaram muitos postos de trabalho desde o início de 2015, enquanto os bancos oficiais, abalados pelas pedaladas fiscais, não obtiveram o mesmo sucesso de um Bradesco ou Itaú.

    Hoje, o consumidor encontra juros muito mais em conta nos bancos particulares que nos oficiais. Os juros da CEF, então, são de matar os clientes – os do cartão de crédito, caso o cliente não pague a fatura cheia, acaba se tornando inviável o pagamento…

    Jesus dos Santos

  3. Mandioca disse:

    Segundo o Ricardo Murad o PIB do primeiro damo está cada vez maior, que o diga, e ateste Flávio Dino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens