Fechar
Buscar no Site

Para Sarney, o governante que dá “soco na mesa costuma quebrar a mão”

Num final de tarde recente, na contagem regressiva para o fim de seu mandato, o agora ex-presidente Michel Temer fez uma reflexão sobre as asperezas do exercício da Presidência da República. “Ser presidente é honroso, mas não é fácil”, desabafou. “Getulio suicidou-se. Tentaram dar golpe no Juscelino para impedi-lo de tomar posse. O Juscelino, do jeito dele, perdoava todo mundo. Interiorizou o Brasil e fez um belíssimo governo, mas saiu como ladrão e corrupto. Foi preso e exilado. Depois teve uma morte mal explicada. Depois veio o Jânio, que renunciou, triste sina. Depois Jango, que foi deposto. Depois, vieram os militares. Quando o Costa e Silva se afastou, não deixaram o vice, Pedro Aleixo, assumir.”

Ao falar do período pós-regime militar e de redemocratização do país, Temer lembrou que a “triste sina” voltou com a morte de Tancredo Neves, que nem tomou posse na Presidência. “Sarney, embora tenha ajudado a reconstruir o país junto a Ulysses Guimarães, saiu desprezado, com Collor dizendo na frente do Palácio da Alvorada que ele era corrupto. Collor foi impichado. Depois do Collor, Itamar foi bem por causa do Plano Real. Fernando Henrique assumiu o poder e um tempo atrás me contou que, quando saiu, tinha 144 ações por improbidade. Já liquidou cento e poucas e tem umas 40 ainda em andamento. Depois veio o Lula, que está preso. Dilma foi também impichada, e depois vem eu”, completou , com uma risada. “E veja o que eu estou sofrendo.” Era uma alusão às denúncias de corrupção de que foi alvo em seus dois anos e sete meses na Presidência — três foram protocoladas pela Procuradoria-Geral da República.

O ex-presidente José Sarney, primeiro líder do período democrático, não foi um presidente propriamente forte. Depois de assumir o cargo com a morte de Tancredo Neves, que negociara com os militares a transição para a democracia, Sarney, egresso do PDS, partido de sustentação do regime militar, passou boa parte de seu mandato tentando legitimar-se no cargo e tendo de fazer concessões ao então PMDB de Ulysses Guimarães, que carregava a legitimidade da oposição à ditadura.

Por causa dessa experiência, Sarney costuma dizer que o presidente deve ser conciliador e radicalmente tolerante com seus opositores. O governante que dá “soco na mesa costuma quebrar a mão”, afirmou o ex-presidente. Ele também recomendou ao presidente usar os dois ouvidos, como diz o Padre Antônio Vieira: um para ouvir quem está presente e outro quem está ausente. Sarney aconselhou, além disso, evitar dois clichês, o de que o presidente “não pode voltar atrás” e o da “solidão do poder”. As decisões, disse ele, não podem ser solitárias, e, na verdade, acabam não sendo. Época.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

5 respostas para “Para Sarney, o governante que dá “soco na mesa costuma quebrar a mão””

  1. NELSON disse:

    OS HONRÁVEIS bandidos –ladrões -ladrona—de bilhões do povo —sempre e eternamente IMPUNES pela justiça terrena mas um dia acertarão as contas com a JUSTIÇA DE DEUS —essa inevitável—- só nos resta aguardar…… a chamada LEI DO RETORNO—-PLANTOU TERÁ QUE COLHER—-NÃO EXISTE IMPUNIDADE PARA DEUS…..ainda bem , temos essa garantia .

  2. Antonio Carlos, Carlos disse:

    Sarney é um morimbundo que não está preso pelo peso da idade, 88 anos é a sua condenação pelos seus crimes. Para Sarney o crime compensa, este velho senil passou a vida toda na politica, na maciota como dito popular, sem fazer nada, enricou sem derramar sequer uma gota de suor, vai morrer impune pela justiça dos homens. Se Sarney acreditasse em Deus, saberia que sua alma já esta no inferno.
    Os crimes de Sarney dar mais de um livro volumoso, até agora Sarney trava um duelo com a morte a unica que não quer como amigo, que só pra si, aproximação, nem pensar, com a proteção do Diabo Sarney vai levando, mas ele sabe que está chegando ao fim, até agora Sarney ainda não encontrou uma meneira de derrotar, enganar ou subornar a morte, mas, ele não desiste nunca, ele sabe que seus dias estão contado. o meu wisk de 20 anos faz aniversário hoje, já tem 23.

  3. Sa Vale Filho disse:

    Leio todos os dias,Folha de São Paulo,O Globo,Valor Econômico e Jornal Pequeno.Agora vcs colocam esse indigente mental opinando besteiras todos os dias no blog.Sejam mais seletivos.
    Cadeia p/ele.

  4. Sidney disse:

    A velha política —-nocautear o COFRE do Estado… e manter a postura de…. honoraveis…..o segredo.

  5. ELIAS disse:

    Li um livro mediúnico— que relata o umbral-inferno para onde vão os políticos ladrões-ladronas de milhões do povo—é algo pavoroso—escuro—lamacento, seres horríveis dando gritos, lugar do CHORO E RANGER DE DENTES do EVANGELHO……. não existe nada na TERRA que possa comparar……..é a LEI DE DEUS—–PLANTOU TERÁ QUE COLHER—-não tem como escapar da LEI DE DEUS—–vamos aguardar……..agora é a COLHEITA DOS ETERNOS =PODEROSOS=. poderosos e ladrões de bilhões na TERRA …….mas com a JUSTIÇA DE DEUS………….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens