Fechar
Buscar no Site

Notinhas – por Oswaldo Viviani e Lourival Bogéa

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

6 respostas para “Notinhas – por Oswaldo Viviani e Lourival Bogéa”

  1. jonas vaquer disse:

    ENTÃO UMA NOTINHA A MAIS. À ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL.
    A ética determina que a postura de um profissional deve ser pautada pelo respeito, seriedade, responsabilidade, retidão e integridade.

    Quando um advogado sabe que está e será observado por todo o país, a sua ética deve ser representada pela sua postura. Ainda mais quando se sabe que está sendo observado por um país que atravessa uma grave crise moral, na qual seu cliente é o maior responsável pelo desemprego e pela fome de milhares de brasileiros, e pela destruição dos princípios morais do poder público. Como se não bastasse, é responsável ainda pela desmoralização das leis que ele supostamente diz que foram compradas.
    Quando um advogado sabe que está e será observado por todo o país, a sua ética deve ser representada pela sua postura.

    Quando um advogado sabe que está e será observado por todo o país, a sua ética deve ser representada pela sua postura.
    http://www.jb.com.br/media/fotos/2017/04/20/627w/quando-um-advogado-sabe-que-esta-e-sera-observado-por-todo-o-pais-a-sua-.jpg

    A postura de um advogado que acompanha este tipo de cliente não deve ser a mesma postura de um advogado que, no passado, era obrigado a rir quando assistia a um processo de uma Dercy Gonçalves. Seu cliente não é Dercy Gonçalves, não faz o povo rir. Está mais perto de ser um agente funerário que lucra com a morte. Mais perto de ser um delinquente que lucra com a miséria e a fome. A postura de um advogado, neste caso, tem de ser a de um homem que acompanha este tipo de delinquente – não só quando acompanha um agente funerário no exercício de seu trabalho, que não é um delinquente.

  2. doralice machado disse:

    A REFORMA DA IMPREVIDÊNCIA, E A ESPOLIAÇÃO DOS TRABALHADORES.
    São os dois assuntos que estão na pauta do indireto, desde a sua posse em 9 de maio de 2016. Faz o maior esforço de mistificação, de retrocesso, de concessão, para tentar aprovar a da Previdência, considerando-a urgente, necessária e indispensável. Mas não consegue sair do lugar, convencer alguém que suas palavras se baseiam numa realidade irrefutável.

    O projeto inicial, tido como indispensável, é retocado, emendado e reformulado com a maior insistência. Para aprovação precisa de irrisórios 308 deputados, mas vai cedendo a todas as pressões , deformando e deteriorando o que divulgava praticamente como parte indispensável para a salvação nacional.

    Cansado de ter que explicar exaustivamente a importância da reforma da Previdência, que está mais para imprevidência do que para qualquer coisa. Não é nem um jogo de palavras, é que na concepção e no comportamento de Temer, essas duas palavras são vizinhas e inseparáveis. Para Temer, farsante sempre, textual: “Consumaremos essa reforma, exatamente como está no original”.

    Ele sabe muito bem que não é nada disso, ele mesmo ficou surpreendido com o estardalhaço feito por Marcelo Caetano, assessor com nome de um político de Portugal, colaborador do ditador Salazar, que depois dele acabou Primeiro Ministro fantasiado de democrata. O Marcelo Caetano daqui, foi afastado discretamente, substituído por uma agencia de publicidade.

    Não tenho nada contra agencias de publicidade, apesar do que dizem geralmente delas, principalmente nos EUA, onde estão as mais gigantescas, que se multiplicam pelo mundo. Como todas se localizam na Avenida Madison, espalham: “Ali são ganhas fortunas, sem precisar usar a inteligência”.

    A daqui, contratada pelo governo criou um slogan,badalado na televisão e radio: “È preciso reformar hoje, para pagar amanha”. Tudo farsa, imaginação de acordo com a vontade do cliente.

    Falam em déficit de 179 BILHÕES, mistificação total. Se fosse verdade, o país não existiria, nenhum aposentado receberia. Se os empresários e a União PAGASSEM sua parte 8 por cento cada, com os 8por cento do trabalhador, estariam com superávit obrigatório.

    Já pedi um levantamento dos débitos, não podem fazer, eles mesmos são os caloteiros. Vão conseguir os 308 votos, enfrentarão a ira da população. Mas pelo menos não conseguirão o que chamam de vitoria, antes de completado um ano de governo.

    Apesar do que retumba o falastrão Henrique Meirelles. Reação da Câmara dos deputados? Até que não seria difícil. Mas é impossível acreditar.

    A reforma trabalhista, assustadora e ameaçadora

    Pressionado naturalmente pelos empresários paulistas, e surpreendentemente pelos do Norte-Nordeste, Temer faz tudo para aprovar a re forma que arruína milhões de trabalhadores.

    Arruína e elimina seus direitos, que pareciam intocáveis, irrefutáveis e irrevogáveis. Mas sempre é fácil encontrar quem esteja disposto a praticar uma traição. Quando era presidente da Câmara, Temer impediu 5 ou 6 vezes,que o então presidente FHC, sofresse o impeachment mais do que justo.Isso foi em 1996, exatamente 20 anos depois, começando em 2016, iniciou o movimento para o impeachment da presidente Dilma.

    Foi outro presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que o projetou, perdão, arrojou para onde está. Agora para destruir os direitos conquistados por milhões de trabalhadores, garante o apoio de outro presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

    Isso é tão deprimente, que dezenas de deputados protestaram, com cartazes com a seguinte legenda: “OUTRO EDUARDO CUNHA, NÂO”. Mas Temer, indireto, incerto, incompetente, garantiu aos empresários: “A reforma trabalhista é tão certa quanto a reforma da Previdência. As duas IMPRESCINDIVEIS para a salvação do país “DEPUTADOS articulam derrotar Temer.

    Essa reforma que o indireto garante que roubará de milhões de trabalhadores, corre sérios riscos. Está em desenvolvimento, a resistência aos planos de acabar com a legislação que vigora há mais de 70 ou 80 anos,afirmam que está inteiramente ultrapassada.

    Tramam então colocar no lugar o que definem desta forma: “Um grande ACORDO entre patrões e empregados que teria força de lei”. Não é segredo, que pretendem modificar três pontos. 1- Ferias. 2- Horas de trabalho. 3- 13° salário. Os dois primeiros casos já com esquemas arquitetados e articulados. Falta resolver a questão do13% salário.

    Imaginam pagar em 10 prestações mensais. Nesses encontros, que terão força de lei, pretendem dizer aos trabalhadores: “Vocês serão beneficiados. Em vez de receberem uma vez no fim do ano, receberão todo mês mais 10 por cento do valor do salário. No total receberão a mesma importância, como se fosse um aumento mensal de 10 por cento”.

    É tanta indignidade, provocará tanta revolta, que jogará pais todo contra o governo e contra a Câmara. Imaginem aprovar essa barbaridade.

    • jonas vaquer disse:

      A DESPESA COM A PREVIDÊNCIA, OS JUROS E O RETORNO À SOCIEDADE.
      A despesa com a Previdência é a mais alta, mas retorna 36% ao governo devido à carga tributária. A parcela dos juros, 20%, tem incidência tributária muito menor. E, pior, aumenta a desigualdade social, que é a mãe da violência urbana.

  3. doralice machado disse:

    MARCELO ODEBRECHT, O INCONFUNDÍVEL.
    Jamais imaginei ou acreditei que pudesse existir um personagem como esse. O avô, fundador da empresa, demonstrou enorme competência irresponsável , ao preterir o filho Emílio, e escolhendo como sucessor o neto Marcelo.

    Desde o inicio dos negócios sabia que não era para qualquer um. Um setor que vivia de contratos, avaliações, aditivos, verbas regulares e suplementares, precisava de alguém inteiramente fora de serie.

    E desde o inicio, vendo o jovem Marcelo crescendo e se desenvolvendo ao seu lado, não teve a menor hesitação: “Esse será o meu sucessor não como herdeiro e sim como alguém que está conquistando o cargo e comandará a empresa de forma insubstituível”.

    O produto da observação e da consagração do avô, o país está assistindo estarrecido, diariamente nas televisões de todo Brasil, entra dia, atravessa a noite, assombrando toda a comunidade.

    Ele não tem caráter, escrúpulo, constrangimento. Nem respeito por ninguém. Montou uma empresa á sua imagem e semelhança .Na qual tudo gira em torno do dinheiro. Como conquista e consolidação do poder.

    Dinheiro que vai se multiplicando de forma espantosa, na medida em que ele mesmo determina e traça o principal roteiro: comprar, corromper, desmoralizar, colocar todos na dependência da humilhação a que são submetidos.

    SÓ ELE MANDA E DESMANDA

    Seus relatos são impressionantes. Faz questão de mostrar e demonstrar que nada escapa do seu comando. È uma organização montada e movimentada unicamente por ele. Todos vivem, crescem, se desenvolvem na base do dinheiro corrompido.

    E para que todos se atrelem a esse sistema que implantou na empresa, estabeleceu a hierarquia da corrupção, que ele e seus sequazes propalam e respeitam como verdade absoluta.

    É o BÔNUS da corrupção, do superfaturamento, a velocidade com que diretores de empresas estatais, mais rapidamente incorrem nos crimes humilhantes e enxovalhantes, para poderem logo receberem a sua propina,e seus corruptores garantirem seus BÔNUS hierárquicos.

    Marcelo Odebrecht é um criminoso consciente, que demonstra enorme satisfação em transformar sua vida, numa novela na qual é o autor, diretor e personagem principal. Como ficará dezenas de anos presos, deveria doar seu cérebro, para Institutos psiquiátricos. PELO MENOS ISSO.

  4. Mandioca disse:

    Lobão era praia, Flávio Dino era CHARUTO. Lobão não afunda ( dizem que merda não afunda) na praia e Flávio Dino não engasga com charutos pois está acostumado a por ….. e FEDORENTAS.
    Hoje é feriado, os flanelinhas da Afonso Pena estão alvoroçados pois sabe que seus CHARUTOS serão muito requisitados pela VIVI , Peta Cachaça e a velha e generosa ….
    E tu Jonh, gostas dum Charutozinho ou dum Charutozão?
    E se eu gritar pega ladrão?

  5. doralice machado disse:

    POIS É.
    ANTONIO CARLOS MAGALHÃES SOBRE MICHEL TEMER: “NÃO ME IMPRESSIONA SUA POSE DE MORDOMO DE FILME DE TERROR”.

    QUANTO AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, DE PROIBIR A CPI DOS BANCOS DE QUEBRAR OS SIGILOS BANCÁRIO, TELEFÔNICO E FISCAL DO EX-PRESIDENTE DO BANCO CENTRAL FRANCISCO LOPES, ACM DISSE: “O SUPREMO É O GUARDIÃO DA CORRUPÇÃO”. E ACRESCENTOU: “É BOM QUE ESSA DECISÃO SEJA REFORMADA LOGO PARA QUE NÃO TENHAMOS DE FAZER UMA LEGISLAÇÃO TIRANDO ATÉ ALGUMAS ATRIBUIÇÕES DO SUPREMO”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens