Fechar
Buscar no Site

Notas Rápidas

Bacabal

É vergonhosa a guerra de decisões judiciais envolvendo o comando da prefeitura de Bacabal. A cada dia o município tem um prefeito diferente por conta da indecisão da Justiça, que acaba tendo a imagem arranhada em função da falta de definição quanto a permanência ou não do prefeito Zé Vieira.

PSDB

A situação no PSDB do Maranhão está definida. O partido, a partir de agora, é comandando pelo senador Roberto Rocha, amparado pela direção nacional. Quanto ao vice-governador e presidente destituído Carlos Brandão, cabe se sujeitar as novas diretrizes impostas por Rocha ou deixar o partido. Não há mais o que se fazer.

Articulação

Em 2014, o PSDB coligou com o PCdoB tendo Aécio Neves como candidato a presidente da República e Flávio Dino postulante ao governo com partidos de esquerda no seu palanque, a exemplo do PDT e PSB. Ainda, assim, foi possível fechar a aliança mesmo Dino apoiando outros candidatos a presidente, como Dilma Rousseff e Eduardo Campos.

Falta de articulação

Um cenário não muito diferente é projetado para 2018. Só que ao contrário de 2014, houve erro de articulação entre o PSDB local e o tucanato nacional. Um distanciamento/isolamento dos interlocutores locais com o comando nacional permitiu que Roberto Rocha se reaproximasse das principais lideranças nacionais e voltasse para o ninho tucano. Foi preciso o governador Flávio Dino, numa última tentativa, tentar o diálogo com o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, mas aí já era tarde.

Sarney mais forte

O ex-senador José Sarney continua dando as cartas junto ao presidente Michel Temer. Numa demonstração de força, Sarney emplacou o novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia. Um posto estratégico que torna Sarney ainda mais influente, já que controla nada menos que a PF. Ou seja, Sarney poderá ter informações privilegiadas de dentro da corporação e proteger aliados de eventuais operações da PF. Um poder e tanto.

Roseana

A força de Sarney na esfera federal sem dúvida refletirá na campanha da sua filha ao governo do Maranhão. O ex-senador já articula no governo Temer todo o apoio possível a Roseana. Prefeitos e lideranças que apoiarem a oligarca, assegura o clã, serão agraciados com convênios e recursos do governo federal.

Deu onda 

A oposição vai explorar as relações do novo diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, com o ex-presidente José Sarney. Randolfe Rodrigues (Rede-AP) vai apresentar requerimentos para convidar Segóvia a comparecer nas comissões de Constituição e Justiça e de Direitos Humanos do Senado.

Enem: ônibus gratuito

Dezenas de milhares de estudantes da Grande São Luís e da Região Metropolitana de Imperatriz terão passagem gratuita nos ônibus neste domingo (12) para fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A medida adotada pelo Governo do Maranhão valeu para o domingo passado e também será adotada neste último dia de exame.

Tá tranquilo, tá favorável

O cenário ainda é de tranquilidade para o governador Flávio Dino. Se as eleições fossem hoje, o comunista ainda se reelegeria. Sua principal adversária, a ex-governadora Roseana Sarney ainda conta com muita rejeição perante o eleitorado, sem falar das denúncias de corrupção que envolve seu grupo. Outro fator negativo é a dificuldade enfrentada pela filha de Sarney em agrupar apoios ao seu nome, já que grande parte dos aliados migraram para a base de Dino. Recurso e estrutura é outro aspecto que também tem pesado.

Portela no PT

Houve uma articulação para o secretário de Segurança Pública do Maranhão, delegado Jefferson Portela deixar o PCdoB e se filiar ao PT. O movimento não se concretizou (o deputado Zé Carlos parece não ter gostado) e Portela então desistiu da sua candidatura a deputado federal.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens