Fechar
Buscar no Site

Museus do Maranhão têm visitas gratuitas com dinossauro

Com o início do ano novo, crianças, jovens e adultos estão aproveitando as merecidas férias. O período é um dos mais aguardados pelos jovens, mas também pode se tornar uma preocupação para os pais, que ficam sem saber o que fazer para preencher o tempo livre da garotada.

Pensando em oferecer opções gratuitas que incentivem o conhecimento da história e cultura local, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), realizou uma série de investimentos em Casas de Cultura, Museus e praças de lazer espalhadas por todo o estado.

A mostra do CPHNA é resultado de anos de pesquisa em três áreas específicas do conhecimento científico. (Foto: Divulgação)

Em São Luís e Alcântara, por exemplo, um verdadeiro circuito de vistas guiadas pode ser feito nas mais de 20 casas de cultura, tudo isso a custo quase zero, como explica a secretária adjunta de cultura da Sectur, Vanessa Leite.

“Os museus e casas de cultura são instrumentos de conhecimento e de lazer. Neste momento de férias, são ótimas opções de diversão e conhecimento para toda a família”, destaca a secretária.

Os museus, teatros, centros de arte e produção artesanal foram cuidadosamente pensados para oferecer uma visão mais completa possível da produção maranhense no campo da arte, cultura e história.

Dinossauros

Entre as casas de cultura mais visitadas pelos maranhenses e turistas, está o Centro de Pesquisa de História Natural e Arqueologia (CPHNA), localizado na Rua do Giz.

Com mais de 226m² dedicados à exposição, a mostra do CPHNA é resultado de anos de pesquisa em três áreas específicas do conhecimento científico: Arqueologia, Paleontologia e Etnologia.

Nos três ambientes da casa destinados a essas áreas científicas é possível encontrar desde restos mortais de formas primitivas de vida achadas em território maranhense, até modernas representações destas, como dinossauros.

Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHA), que reconstitui toda a decoração e artefatos de uma casa do século 19. (Foto: Divulgação)

Há também registros de tribos e culturas indígenas que participaram da formação do povo maranhense.

Outra opção gratuita e cheia de história é o Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHA), que reconstitui toda a decoração e artefatos de uma casa do século 19. Também estão na lista das unidades de cultura mantidas pelo Governo do Estado a Casa de Nhozinho (Rua Portugal), o Museu de Arte Sacra (anexo MHAM), o Palácio dos Leões, o Centro de Produção Artesanal do Maranhão (Ceprama), o Museu Histórico e Artístico de Alcântara (anexo MHAM) e as Casa do Divino Alcântara – as duas últimas na cidade de Alcântara.

História e Cultura

O Governo também é responsável pela manutenção das casas e melhorias, como foram as reformas do Convento das Mercês, da Casa de Cultura Josué Montello e do Forte de Santo Antônio, inaugurado parceria com a Prefeitura de São Luís e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Agendamento

Mais que um simples passeio, visitar as casas de cultura é um mergulho no universo rico das tradições maranhenses. Para facilitar, foi desenvolvida uma plataforma que permite o agendamento online de visitas a mais de 20 casas de cultura. O serviço também tem a opção de circuitos pré-definidos levando em consideração a proximidade dos espaços, localizados em São Luís e Alcântara.

Grupos interessados em agendas visitas podem fazer pelo site http://www.cultura.ma.gov.br/portal/eventos/2016/agendamento/ .

Ar livre

Além das casas de Cultura, o Governo do Estado também investiu na construção de áreas ao ar livre que incentivem os momentos de lazer e prática de esportes.

O primeiro a ser entregue foi a praça da Lagoa, que também recebeu ampliação, ganhando mais espaço e parquinho para crianças. Houve, ainda, melhorias no recapeamento asfáltico e sinalização no entorno.

Outro lugar propício para o lazer a interação com a natureza é a APA do Itapiracó, parque ambiental que recebeu investimento de R$ 14 milhões e conta com três praças – Praça do Atleta, Praça da Criança e Praça da Família -, campos de futebol, quadra poliesportiva coberta, parquinhos infantis, circuito de skate, áreas para futebol de areia e futevôlei.

“Devemos incentivar a interação da população com a natureza para que desenvolvam o sentimento de proteção e cuidado pelo meio ambiente, além de favorecer o lazer e a prática de esportes para uma melhor qualidade de vida da população”, destaca o secretário de Meio Ambiente, Marcelo Coelho. O parque ainda conta com outras 13 praças de menor porte que levam a trilhas ecológicas e pista de cooper que somam mais de 10 km de áreas para caminhada. Pelos caminhos, é possível chegar às três praças maiores e cruzar a Chácara Itapiracó, Comunidade Canudos e Terra Livre.

Beira-Rio

Outro ponto que vai garantir lazer durante as férias é a nova Beira-Rio de Imperatriz, entregue no final de 2017 pelo Governo do Estado, com área de 20 mil metros quadrados. Ela foi pensada para atender múltiplos públicos e tem parquinho, concha acústica e equipamentos para atividades físicas, incluindo uma academia funcional e quiosques.

A nova Beira-Rio de Imperatriz, com área de 20 mil metros quadrados. (Foto: Divulgação)

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Museus do Maranhão têm visitas gratuitas com dinossauro”

  1. Nordel Facundes disse:

    Um dia o vetusto José Sarney será parte desse fossário. E para identificar os ossos do Barão do Maranhão, mais uma vez os paleontólogos recorrerão ao Carbono 14 ou Plutônio 171.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens