Fechar
Buscar no Site

Maranhão será beneficiado com nova distribuição dos royalties da mineração

Mudanças no cálculo e na distribuição dos royalties da mineração foram aprovadas nesta terça-feira pelo Plenário da Câmara. Antes essa tributação só se estava nos locais onde era extraído o material. Apenas Minas Gerais e Pará eram beneficiados. Agora, toda arrecadação será destinada aos estados e municípios onde também participam de alguma forma dessa rede.

“No Maranhão são mais de 20 cidades onde a Estrada de Ferro Carajás corta o município, e ela deixa muito barulho, muita fuligem, prejudica a saúde das pessoas e nada mais justo que haja uma compensação financeira”, defendeu o deputado federal e vice-líder do PCdoB na Câmara, Rubens Pereira Júnior.

Para a maior parte dos minerais extraídos no Brasil, as alíquotas continuam variando de 0,2% a 3%, com aumentos para alguns tipos de minerais e diminuição para outros.

Quanto ao minério de ferro, responsável por 75% da produção mineral brasileira, a alíquota máxima passa de 2% sobre a receita líquida para 3,5% sobre a receita bruta, descontados os tributos, podendo ser diminuída para até 2%.

“Essa foi uma posição da bancada do Maranhão, onde votamos com unanimidade a favor. Inclusive já era um compromisso feito com a Famem, em prol de todos os maranhenses”, finalizou Rubens Júnior.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Maranhão será beneficiado com nova distribuição dos royalties da mineração”

  1. VALTEMIR disse:

    Rubens junior, pensa que engana muitos usando uma manobra arcáica aumentando impostos para as empresas; como se isso estaria beneficiando o povo; esquece que o ciclo sistemático acaba voltando contra o povo.

    Esses políticos estão absorvido, uníssonamente, pelos mesmos desvalores culturais; ou seja, estão atuando, militantemente, em favor de si próprio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens