Fechar
Buscar no Site

Maia diz que pacote anticrime é assunto para depois da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na noite desta 4ª feira (6.fev.2019) que o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, “pode contaminar o ambiente da Previdência”.

“O prazo desse debate tem que ser mais longo que o prazo do debate da reforma da Previdência”, disse o demista em entrevista ao Jornal das 10, da GloboNews.

Reeleito com 334 votos para o comando da Casa, o deputado tem defendido a tramitação da reforma econômica mais importante do governo de Jair Bolsonaro. Disse que deve ir a plenário na 2ª quinzena de maio.

“É uma agenda de Estado, não de governo”, disse o demista em entrevista ao Jornal das 10, da GloboNews, sobre a mudança no sistema de aposentadorias. Deve, portanto, seguir em paralelo ao projeto de Moro.

Rodrigo Maia acredita que a proposta do ex-magistrado deve passar por mais comissões e, portanto, ter tramitação mais demorada.

DEPUTADO É CONTRA JUNTAR REFORMAS
A possibilidade de apensar (fazer tramitar em conjunto) o texto da equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro –liderada pelo ministro Paulo Guedes, da Economia– ao da gestão anterior, liderada por Michel Temer, não agrada Maia.

“Suprimir a aprovação da [Proposta de] Emenda Constitucional na CCJ [Comissão de Constituição e Justiça], nós vamos conseguir o quê? Transformar o plenário num campo de guerra”, afirmou.

O governo Bolsonaro ainda não apresentou sua versão –que, de acordo com Guedes, deverá trazer mudanças trabalhistas–, enquanto a de Temer já passou por todas as comissões.

FIM DA ESTABILIDADE PARA SERVIDORES
O presidente da Câmara defende uma reforma administrativa. Disse na entrevista que não pretende abrir 1 concurso enquanto não houver mudança na carreira do funcionalismo.

“Não tem mais carreira [no serviço público], porque, em pouco tempo, o servidor chega ao teto”, disse. Questionado, então, se era favorável ao fim da estabilidade, respondeu: “Defendo para os próximos servidores”.

Eis outros tópicos da entrevista:

  • reforma tributária: “não vejo como conseguir enfrentar a reforma tributária sem aprovar a previdenciária antes”;
  • voto aberto/secreto para o comando das Casas“discordo frontalmente que o voto aberto é bom para a democracia. É completamente equivocado. Na minha opinião, o regimento interno não pode ser modificado”;
  • projetos de moral e costumes“a gente deixa para 1 segundo momento. Temos que ter responsabilidade com o Brasil. Nós não podemos transformar o plenário da Câmara em um campo de guerra ideológica”;

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Maia diz que pacote anticrime é assunto para depois da Previdência”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens