Fechar
Buscar no Site

Flávio Dino entrega três escolas em um só dia e lembra que no passado recente era necessário oito anos

“Estamos deixando para trás a época onde para se inaugurar três escolas no Maranhão, eram preciso oito anos. Hoje bastam 24 horas”, diz Dino

O governador Flávio Dino entregou nesta quarta-feira (07), a nona unidade plena do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). Localizada na área Itaqui-Bacanga, em São Luís, a nova unidade tem capacidade para receber até 300 alunos, oferecendo ensino integral e de qualidade.

“Hoje nós estamos inaugurando três escolas. O IEMA, uma escola em Riachão e uma em Estreito. Estamos deixando para trás a época onde para se inaugurar três escolas no Maranhão, eram preciso oito anos. Hoje bastam 24 horas. De sexta-feira passada até a próxima sexta, serão seis escolas entregues à juventude e aos educadores do Maranhão”, destaca o governador Flávio Dino.

O novo IEMA faz parte da consolidação da política de implantação de escolas técnicas de tempo integral que o Governo do Estado coloca em prática há três anos. “Nenhum estado do Brasil faz um esforço tão sério quanto este que nós fazemos aqui no Maranhão. Nós priorizamos a educação de verdade, esse é o verdadeiro caminho para o desenvolvimento e para a justiça social”, assinala o governador.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

10 respostas para “Flávio Dino entrega três escolas em um só dia e lembra que no passado recente era necessário oito anos”

  1. Tony disse:

    Esse cara ama os sarneys rapaz, o cara não para de pensar neles.

  2. Falar ás verdades, ás vezes dói, quem foi que passou 4 mandatos brincando de ser governadora? ás mamatas foram tão rentosas e gratificantes que ela ainda quer voltar para lascar o estado e o POVO de uma vez por toda. já imaginou se ela ainda estivesses no poder? certamente que não iria fazer esses passeios por 30 municípios andando de ônibus, iria era de helicóptero e os outros eram que iriam de ônibus, como ela deve estar sentindo faltas das mordomias, encher o avião de amigos só para jogar cacheta aqui no DF. Tudo pago pelos os Maranhenses e ainda tem uns abnegados que querem a todo custo trazer essa inoperante de volta? cruz credo, os Maranhenses não merecem 5 raios caírem no mesmo lugar, já passou por 4 mandatos e deixou o estado em último lugar, o que será agora que se ela conseguisse ganhar onde ela iria colocar o Maranhão? será que ia levar o estado para o AMAPÁ? e trazia o Amapá pq lá o pé na cova disse que está tudo ás mil maravilhas kkkkkkkkk, só muita taca nos lombos destes agorentos.

  3. geraldo disse:

    FLÁVIO DINO o melhor governador do Maranhão de todos os tempos. Essa ex-imperatriz desesperada para ter o cofre do MARANHÃO novamente em mãos , a ÚNICA coisa que adora fazer administrar o cofre e deixar o MARANHÃO NA MISÉRIA, NO ATRASO e com os piores indicadores sociais do Brasil. É SER MUITA CARA DE PAU , ex-imperatriz visitar seus ex-vassalos em seu ex-dominios —-QUANDO SE É ENGANA/ENGANA eternamente engana/engana . Mas o povo maranhense acordou do pesadelo sarna e não aceitam mais ser enganados pela engana/engana—- adeus oligarquia sarna —adeus para sempre adeus—FLÁVIO DINO 2018—–O LIBERTADOR DO MARANHÃO DAS GARRAS DOS SARNAS.

  4. José Araújo disse:

    Vendo essas realizações do governo FD fico imaginando o que poderia ter sido feito neste 50 anos da oligarquia.

  5. cesar disse:

    Flavio dino reeleito
    Roseana voltando pra Miami
    Braide e Ze Reinaldo sem mandato
    Roberto rocha nada a perder

  6. S .Mar disse:

    Flavio Dino reeleito
    Roseana voltando pra Miami
    Bride e Ze Reinaldo sem mandato
    Roberto rocha nada a perder.

  7. O PROBLEMA É A INGERÊNCIA POLÍTICA NO IEMA como mais um órgão da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI que muito antes se chamava Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia – SECTEC onde jamais esquecemos que a SECTEC era parte das atribuições da Secretaria de Estado do Planejamento e posteriormente extinta ficando sob a responsabilidade da Gerência de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, esta última como já tinha outras funções, foi necessário criar a Subgerência de Ciência e Tecnologia substituindo assim a antiga SECTEC com algumas mudanças por via de pleito da comunidade acadêmica com a criação da GECTEC – Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico que permitiu a restituição da FAPEMA inovando o modelo de gestão pública pedagógica com esforço ao estudo que se relaciona com a juventude e outro público alvo no seu desenvolvimento por meio do Sistema Estadual de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico – SEDCT. Neste corpo de responsabilidade pelo conhecimento, tinha a UNIVIMA – Universidade Virtual do Maranhão como órgão vinculado à GECTEC, ao exemplo da atualidade que faz-se referência à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI que por meio dela, temos o IEMA que não é diferente do anterior quando era a SECTEC e posteriormente GECTEC que já tinha o Centro de Capacitação Tecnológica do Maranhão – CETECMA, Estaleiro Escola e assim como a UNIVIMA. Já neste modelo atual, a SECTI que entende como inovação por espaço a juventude, criou o IEMA que claro não deixa de ser um modelo de gestão pedagógica. Aqui repito, o problema é a ingerência política onde lamentavelmente isso vem ocorrendo no governo Flavio Dino desde quando criou o IEMA. Lamento, pois enquanto tivermos ingerência política, a juventude e outro público alvo serão sempre prejudicados não só na sua formação como nos seus espaços no mercado de trabalho. Além dessa situação, o que não ficou fácil para região Itaqui-Bacanga, foi ter perdido o seu Centro de Qualificação Profissional que também tinha além dos cursos profissionalizantes, tinha seus cursos técnicos com vários alunos da própria região que lá já estudavam. Bravos e bravas, se o governador Flavio Dino tivesse uma visão voltada de fato para juventude, ele teria tomado duas decisões para implantar o IEMA na área Itaqui-Bacanga, a primeira era ter chamado o Edvaldo Holanda Jr para uma parceria estado e município no sentido da construção do prédio com estrutura moderna com espaço físico suficiente que contemplasse além do IEMA, a Creche e a Vila Olímpica, projetos tão sonhados pela comunidade no terreno da antiga EIT até mesmo pelo fato de ter recursos alocados da união com projetos arquitetônicos elaborados e aprovados, e em seguida, articularia com a FIEMA – Federação das Indústrias do Estado do Maranhão e a VALE para que o Centro de Qualificação Profissional CEPIB/SENAI voltasse a funcionar na região, isso sim, seria uma visão de um gestor público voltado há vários públicos alvo, principalmente a juventude, ao invés de ter apenas pintado um prédio que já era nosso da comunidade com as cores do PC do B tendo pouco custo para implantar apenas mais um órgão de uma secretaria que já tem marca há muito tempo em vários governos como busca de soluções para formação do cidadão como iniciativa de espaço no mercado de trabalho definindo sua estabilidade. Era isso que ele deveria ter feito ao invés de implantar um órgão com ingerência política de seu governo para fazer mídia e confundir a população. Sou a favor do IEMA, mas desde que este fosse dentro dessas iniciativas aqui expostas como crítica construtiva.

    No mais, abraços bravos e bravas, que todos ficamos atentos para que não perdemos o nosso outro prédio que serve como campo improvisado do IFMA. Assim é fácil, lamento a falta de visão de mundo de um gestor público.

    SEBASTIÃO SANTOS.

  8. Bravos e bravas, que Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, esse nosso Deus único de Israel de séculos em séculos, nos ilumine. Aqui quem fala é o amigo de vocês o líder comunitário Sebastião Santos, me permitam um pouco do tempo de vocês para uma reflexão de uma estratégia armada pelo governador Flavio Dino inaugurando uma unidade do IEMA na área Itaqui-Bacanga em um prédio que já era todo moderno e estruturado conquistado com muita luta por nossa comunidade. Neste prédio funcionava o Centro de Qualificação Profissional da Área Itaqui-Bacanga – CEPIB/SENAI.

    Será se o Flavio Dino pensa que a juventude é tola com essa história de IEMA que tem a ingerência de seus afilhados políticos??? Até que esse instituto quem sabe, poderia dar certo se não fosse a ingerência política determinada por ele para beneficiar seus afilhados políticos não passando de uma armadilha para continuar no poder. Que inovação é essa??? O que observamos é a ingerência política no IEMA como mais um órgão da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI que muito antes se chamava Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia – SECTEC onde jamais esquecemos que esta secretaria SECTEC era parte das atribuições da Secretaria de Estado do Planejamento e posteriormente extinta ficando sob a responsabilidade da Gerência de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, esta última como já tinha outras funções, foi necessário criar a Subgerência de Ciência e Tecnologia substituindo assim a antiga Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia – SECTEC com algumas mudanças por via de pleito da comunidade acadêmica com a criação da GECTEC – Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico que permitiu a restituição da FAPEMA inovando o modelo de gestão pública pedagógica com esforço ao estudo que se relaciona com a juventude e outro público alvo no seu desenvolvimento por meio do Sistema Estadual de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico – SEDCT. Neste corpo de responsabilidade pelo conhecimento, tinha a UNIVIMA – Universidade Virtual do Maranhão como órgão vinculado à Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico – GECTEC, ao exemplo da atualidade que faz-se referência à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI que por meio dela, o Flavio Dino criou esse IEMA que não é diferente do anterior quando era a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia – SECTEC totalmente diferente por não ter ingerência política e posteriormente Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico – GECTEC que já tinha o Centro de Capacitação Tecnológica do Maranhão – CETECMA, Estaleiro Escola e assim como a UNIVIMA. Repito, em todo esse corpo não existia ingerência política, já neste modelo atual, a mesma Secretaria que é a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI que entende como inovação por espaço a juventude, criou o IEMA como um modelo de gestão pedagógica que tem como marca a sua ingerência política. Aqui repito, é uma estratégia para beneficiar seus afilhados políticos por meio da ingerência que lamentavelmente isso vem ocorrendo no governo Flavio Dino desde quando criou o IEMA. Lamento, pois enquanto tivermos ingerência política, a juventude e outro público alvo serão sempre prejudicados não só na sua formação como nos seus caminhos na busca de espaços no mercado de trabalho. Além dessa situação, o que não ficou fácil para região Itaqui-Bacanga, foi ter perdido o seu Centro de Qualificação Profissional CEPIB/SENAI que também tinha além dos cursos profissionalizantes, os cursos técnicos com vários alunos da própria região que lá já estudavam nos três turnos. Bravos e bravas, se o governador Flavio Dino tivesse uma visão voltada de fato para juventude, ele teria tomado duas decisões para implantar o IEMA na área Itaqui-Bacanga, a primeira era ter chamado o Edvaldo Holanda Jr para uma parceria estado e município no sentido da construção do prédio com estrutura moderna com espaço físico suficiente que contemplasse além do IEMA, a Creche e a Vila Olímpica, projetos tão sonhados pela comunidade no terreno da antiga EIT que há muito tempo é da prefeitura e já com recursos alocados da união com projetos arquitetônicos elaborados e aprovados, e em seguida, articularia com a FIEMA – Federação das Indústrias do Estado do Maranhão e a VALE para que o Centro de Qualificação Profissional CEPIB/SENAI que antes já tínhamos na área Itaqui-Bacanga, voltasse a funcionar na região, isso sim, seria uma visão de um gestor público voltado há vários públicos alvo, principalmente a juventude, ao invés de ter apenas pintado com as cores do PC do B um prédio que já era nosso da comunidade tendo pouco custo para implantar apenas mais um órgão em uma secretaria que sempre teve a missão em vários governos caminhos de soluções para formação do cidadão, além dessa ação, iniciativa de espaço no mercado de trabalho na visão de uma estabilidade ao maranhense. Era isso que ele deveria ter feito ao invés de implantar um órgão com ingerência política de seu governo para fazer mídia e confundir a população. Sou a favor do IEMA na região, mas desde que este fosse implantado dentro dessas iniciativas aqui expostas como crítica construtiva.

    No mais, abraços bravos e bravas, que todos ficamos atentos para que não perdemos o nosso outro prédio que até então ainda nos serve como campo improvisado do IFMA. Assim é fácil, lamento a falta de visão de mundo de um gestor público.

    Abraço a todos, SEBASTIÃO SANTOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens