Fechar
Buscar no Site

Em Timon confusão quase termina em agressões entre vereadores

Do site do Elias Lacerda – A falta de habilidade política do governo municipal em lidar com o legislativo, a briga pelo poder da casa e uma boa dosagem de exageros nos destrates entre os próprios vereadores tem jogado a câmara municipal de Timon no abismo da falta de credibilidade. Ontem(11) , durante a sessão na casa, o legislativo protagonizou mais um capítulo lamentável de sucessivos outros que tem proporcionado  nesta legislatura.

Tudo começou quando o presidente da casa Uilma Resende, alegando falta de quórum, abriu e encerrou a sessão. Vereadores da oposição protestaram argumentando que tinha quórum. Decido, Resende não voltou atrás.

Neste momento os ânimos se acirraram e durante as discussões o vereador Anderson Pêgo disparou críticas a Uilma ao ponto de chamá-lo de moleque, provocando um agravamento na situação. Ainda no plenário, Uilma Resende pediu respeito ao vereador e deixou o ambiente.

O presidente da casa levou consigo a ofensa e em uma das salas do legislativo logo após a sessão, Uilma Resende peitou Anderson Pêgo e num tete-a-tete pediu que o colega repetisse o que havia dito no plenário. “Diga agora, vereador. Me chame de moleque de novo?”. Quem viu a cena garante que se o vereador tivesse repetido teria havia agressões.

Temendo que pudesse haver uma briga na casa, outros vereadores intervieram acalmando Uilma Resende e afastando os dois.

Enquanto isso, a população de Timon continua aguardando notícias positivas desta fábrica de brigas e notícias ruins que se transformou a atual legislatura…

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens