Fechar
Buscar no Site

Dois promotores, dois pesos e duas medidas

Promotores João Leonardo e Paulo Avelar

Promotores João Leonardo e Paulo Avelar: coerência?

Um concurso realizado pelo Ministério Público do Maranhão em 2014 é o exemplo maior da contradição na conduta dos promotores que produziram documento sugerindo a reaplicação da prova do concurso para professor da rede pública estadual, realizado em dezembro de 2015 pela Fundação Sousândrade.

No documento emitido nesta terça-feira (23), os promotores Paulo Silvestre Avelar Silva (4ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa da Educação de São Luís) e João Leonardo Sousa Pires Leal (29ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa) pedem que haja reaplicação do exame sob a alegação de que as questões da prova objetiva eram similares à provas de outros concursos.

Mas, em 2014 um concurso realizado pelo Ministério Público Estadual para preencher vagas de Promotores de Justiça, apresentou pelo menos oito questões com enunciados quase idênticos à provas aplicadas em diversos concursos públicos.

Apesar das semelhanças nas questões do concurso do MP com a de provas realizadas anteriormente, na época não houve qualquer contestação por parte dos mesmos promotores que agora sugerem nova aplicação das provas do concurso da Fundação Sousândrade.

Diante da postura dos promotores cabe indagar por que os promotores agem com dois pesos e duas medidas para tratar de questões similares, fechando os olhos para o caso do próprio MP. Se o concurso do Ministério Público não é questionado em função das similitudes nas questões, por que o concurso promovido pela Fundação Sousândrade é colocado sob suspeição?

Além da incoerência na avaliação dos promotores do MP, surpreende que eles ignorem os efeitos extremamente negativos de tal postura. Insuflados por candidatos reprovados no certame, os promotores colocam em xeque, sem motivo plausível, um concurso público realizado pela primeira vez em muitos anos, com oferta de salários de R$ 5 mil para mais de 1.500 aprovados que, por sua vez, passaram por penoso processo de preparação.

Há ainda, na postura incoerente dos promotores, a possibilidade de prejuízo para milhares de estudantes da rede estadual que aguardam pelos novos professores.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

20 respostas para “Dois promotores, dois pesos e duas medidas”

  1. Antonio Lima disse:

    John, é impressão ou você quer justificar um erro apontado outro?

    Veja, “…quase idêntica…” não é semelhante, e semelhante não é igual, portanto, o MPMA só peca por não recomendar a anulação total de um processo marcado por graves críticas desde o primeiro momento, e são várias as denúncias com farto material que comprovam vícios na execução.

    Convenhamos!

    • Nonato Macedo disse:

      Antonio, exatamente isso que ia falar ao nobre Cutrim, ele deve perceber a diferença além do que no caso do concurso do MP não cabe ao promotor Paulo Avelar sair em defesa desse concurso o quanto ao da Educação.

  2. Luiz disse:

    Rapaz foram 25 questões copiadas, O FD deveria ser o primeiro a concordar com nova prova, já que a idoneidade desse concurso esta sob suspeita.

  3. Elanne disse:

    Luiz F5 querido, essas 25 questões alegadas são no total de 750 questões englobando os 18 cargos concorridos… Similitude de questões nunca foi motivo de reaplicação de provas, só aqui no Maranhão que a oposição se agarra a situações ridículas para manchar a imagem do Governo.

    • Luiz disse:

      Um concurso sob suspeita, continuo achando que deveriam refazer as provas somente para os que já estão inscritos, quem realmente esta preparado certamente sera aprovado, o que não pode é um concurso maculado por suspeitas de fraudes.
      Espero que o Governo de FD não se transforme em uma copia do de Jackson Lago, onde toda tipo de bandalheira ocorreu e tudo era justificado com perseguição.

  4. Rosangela disse:

    Caro John Cutrim, agradeço por mostrar o outro lado da moeda. Isso revela que vc está inteirado do assunto e diferente de “muitos” que só tendenciam a reproduzir inverdades tem buscado na fonte o teor do que realmente está em discussão. Que fique claro que todas as denúncias feitas sobre este certame foram infundadas e devidamente afastadas e o único questionamento do MP é com relação a similitude de algumas questões. O que deve ser pensado nesse momento é na situação que nosso estado se encontra, sem professores em sala de aula. O nosso estado hoje, está verdadeiramente vivendo um novo tempo. Governo de pulso firme. Parabéns aos novos professores, parabéns ao nosso estado.

  5. Paulo Vaz disse:

    Esse tipo de problema em concursos é comum no Brasil inteiro. Está aí um belo exemplo. O concurso foi homologado por um juiz de direito, conhecedor das leis. Viremos essa página e partamos para a próxima etapa: a nomeação dos qUE estudaram mais e foram vitoriosos.

  6. Manfredo Melo disse:

    Realmente é de uma incoerência monstruosa. Ainda acho engraçado que algumas pessoas quem aprovação no grito. Estudei, gastei muito para ir ao Maranhão duas vezes e minha aprovação é fruto do meu esforço. Então, vamos estudar e conseguir a tão sonhada aprovação no mérito. Espero que num futuro bem próximo, eu esteja contribuindo para a melhoria da educação do estado.

  7. JOE PETERSON disse:

    Senhores, não adianta reclamar do blogueiro, por mais que existam razões suficientes para anular o concurso, ele jamais vai admitir algo nesse sentido. Ele está sendo muito bem pago para defender o governo em qualquer situação, mesmo usando erros para justificar outros.

  8. Fernando disse:

    Que bela matéria. Ao menos uma sensata.
    Em nenhum momento foi comprometida a idoneidade do concurso.

  9. Rogério disse:

    Parabéns ao John pela leitura interessantíssima da realidade. Quando é para sem beneficiar a população e auxiliar a mudança nos quadros sociais e econômicos do estado temos sempre um grupo dificultando as conquistas do povo. Agora quando é pra benefícios próprios todos se calam.

  10. Bruno Andrade disse:

    Aos mal informados e ruins de matemática, as 25 questões SUPOSTAMENTE plagiadas estão distribuídas em 18 áreas diferentes em uma prova onde havia 40 questões especificas pra cada área e mais 30 gerais. Façam os cálculos… Em 750 questões 25 com SUSPEITA de plagio correspondem a 3,3% da prova, uma media de 1,3 questão plagiada por área! Voce acha realmente justo, no mínimo razoável, fazer candidatos estudarem tudo novamente, viajarem novamente de todos os lugares do Brasil, gerar ainda mais gastos pra um concurso que jà está homologado, por causa de 3,3% da prova “plagiada”? Ah faça me o favor, vá estudar pro próximo meu amigo deixe a gente (que fizemos a mesma prova que você mas passamos) em paz!

    • Sergio disse:

      Bruno Andrade, devo dizer que seu cálculo está equivocado, pois 6 das 25 questões foram devidamente anuladas por conter mais de uma resposta como certa. Daí que contêm similitudes, normais, 19 questões apenas.

  11. Bruna disse:

    Muito bom seu posicionamento, John! Bom saber que há pessoas que valorizam o esforço feito para ser aprovado num concurso. Afinal de contas são quase 80mil pessoas contra 1.800 aprovados. Se fala tanto em justiça mas não veem que os maiores injustiçados seriam as pessoas que passaram e teriam que fazer a prova novamente.

  12. Mandioca disse:

    Cara, só mesmo sendo um vagabundo para defender uma fraude sessas, todos sabem, até os ratos, que esse concurso foi mais uma das inúmeras e grandiosas falcatruas desse governo corrupto e incompetente. Flávio Dino e caterva já deverias estar presos há muito tempo.
    Fora com os canalhas, fora com os ladrões, limpeza já no palácio dos Leões.

  13. augusto pereira de carvalho disse:

    OS ASSECLAS DA OLIGARQUIA QUEREM QUE DINO COPIE ROSEANA SARNEY, DEIXANDO DE REALIZAR CONCURSO PÚBLICO E FAÇA CONTRATAÇÃO IMORAL DOS CABOS ELEITORAIS PARA DAR AULA , COMO FAZIA O GOVERNO PASSADO.

  14. ANDRÉ disse:

    Ministério público humilhado e milhares de pessoas injustiçadas! Fraude comprovada e o TODO poderoso diz que ele é quem manda!
    Só que o povo é quem de fato manda. Votei no Senhor e me arrependo amargamente e levantarei voz aos quatro cantos que Sarney e Dino são todos iguais!

    • Sergio disse:

      Tantas escolas construídas…tantos incentivos a educação…tantos projetos e ações de melhoria trazidos a população maranhense…Enfim, se isso tudo não fez você enxergar diferenças entre os referidos governantes, só posso pensar isto:”Ufa!!!Ainda bem que você não foi aprovado no concurso”

  15. O Melquiádes disse:

    Gente vamos aprender a perder, passei nesse concurso por mérito e esforço, sou de família humilde, minha vovó analfabeta sempre me disse que: “QUEM NÃO PODE COM O BOTE NÃO BOTA A RUDIA NA CABEÇA”,ou seja não adianta querer anular sempre o mais preparado vai passar…

mais / Postagens