Fechar
Buscar no Site

Denúncia contra Sarney no “quadrilhão do PMDB” continua valendo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento do inquérito aberto na Corte para investigar a suposta tentativa do ex-senador José Sarney de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Sarney responde a um inquérito no qual foi acusado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) do crime de embaraço à Lava Jato, por tentar barrar ou atrapalhar as investigações da operação.

Caberá ao ministro do Supremo Edson Fachin, relator do caso, dar a palavra final sobre o arquivamento do processo.

A decisão tomada hoje pela PGR não tem relação com a denúncia por crime de organização criminosa apresentada na sexta-feira (8) por Janot contra José Sarney e os senadores do PMDB Renan Calheiros (AL),  Romero Jucá (RR), Edison Lobão (MA), Valdir Raupp (RO) e Jader Barbalho (PA).

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal sete membros do PMDB por integrarem organização criminosa que desviou recursos públicos e obteve vantagens indevidas, sobretudo no âmbito da administração pública e do Senado Federal. Os denunciados José Sarney, Edison Lobão, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Sérgio Machado, Romero Jucá e Valdir Raupp são acusados de receberem propina de R$ 864 milhões e gerarem prejuízo de R$ 5,5 bilhões aos cofres da Petrobras e de R$ 113 milhões aos da Transpetro.

Além da pena de prisão, Janot quer que os atuais senadores percam seus mandatos e que todos paguem R$ 200 milhões, metade como devolução de desvios e outra metade como indenização por danos morais. O restante do valor desviado poderá ser cobrado em outros processos, segundo a PGR.

Sarney é acusado de desviar dinheiro da Transpetro em transações intermediadas pelo ex-presidente da estatal Sérgio Machado. Em um dos depoimentos que prestou ao Ministério Público Federal, depois de fazer acordo de delação, Machado disse que repassou R$ 18,5 milhões a Sarney no período em que foi presidente da Transpetro (2003 a 2015).

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

2 respostas para “Denúncia contra Sarney no “quadrilhão do PMDB” continua valendo”

  1. GERALDO JOSÉ disse:

    DINHEIRO PARA CORRUTOS, LADRÕES,RATÕES,RATAZANAS NÃO FALTA NO BRASIL—-não tem dinheiro para a saúde, educação, rodovias, etc mas para ESSES RATÕES QUE ROUBA HÁ DÉCADAS NÃO FALTA DINHEIRO —-CADEIA PARA TODOS OS RATÕES E RATAZANAS DE DINHEIRO PÚBLICO DO BRASIL—- CADEIA—-O PODEROSO JOESLEY ESTÁ PRESO ……..RATÕES E RATAZANAS …..AGUARDEM….SUAS HORAS DE IREM PARA A PRISÃO ESTÁ CHEGANDO….PREPARA A MALA …..AGUARDEM …..PRISÃO////

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens