Fechar
Buscar no Site

Caso Idac: advogado ligado a Ricardo Murad consegue habeas corpus para presos

Por meio de habeas corpus impetrado pelo advogado Celso Henrique Anchieta de Almeida, ligado ao ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, o desembargador Olindo Menezes, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, acatou pedido de liberdade para o presidente do Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac), Antônio Aragão, e mais dois outros membros da entidade, Walterlino Silva Reis e Marco Serra dos Santos.

Os acusados de terem desviado R$ 18 milhões dos recursos da saúde do Maranhão foram presos no dia 2 de junho pela Polícia Federal, em São Luís, durante a Operação Rêmora.

O advogado Celso Henrique Anchieta de Almeida, que entrou com o pedido de Habeas Corpus para a liberação do presidente do Idac, Antônio Aragão e outros envolvidos no desvio de recursos públicos, foi assessor jurídico da secretaria de Saúde na gestão de Roseana Sarney/Murad, conforme publicação do Diário Oficial (veja na imagem acima). O Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac) começou a administrar unidades de saúde do Maranhão no ano de 1994, sob o comando de Murad.

Antônio Aragão, presidente do PSDC e Idac

A Polícia Federal deflagrou no dia 2 de junho a 4ª fase da Operação Sermão aos Peixes intitulada Operação Rêmora, que tem como objetivo apurar indícios de desvios de recursos públicos federais destinados ao sistema de saúde do estado do Maranhão. A quantia desviada supera a cifra de R$ 18 milhões.

As investigações apontam que o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), uma organização social sem fins lucrativos, recebia milhões de reais dos cofres públicos, repassados pela Secretaria de Estado de Saúde do Maranhão. Essa verba se destinaria à administração de algumas unidades hospitalares estaduais (Hospital Regional de Carutapera, Hospital Geral de Barreirinhas, Hospital Aquiles Lisboa, Hospital de Paulino Neves, AME Barra do Corda, AME Imperatriz e a Unidade de Pronto Atendimento de Chapadinha/MA).

No entanto, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) detectou uma grande quantidade de saques vultosos e em espécie realizados por um funcionário da organização social. Os saques chegavam a R$ 200 mil. Também foram identificados fortes indícios de distribuição de valores a agentes políticos locais, que facilitavam a obtenção de contratos públicos pela organização.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

5 respostas para “Caso Idac: advogado ligado a Ricardo Murad consegue habeas corpus para presos”

  1. Mandioca disse:

    ACORDA cara, desperta para a realidade.
    São DOIS ANOS de ROUBALHEIRA da GROSSA.
    Os saques na boca do caixa e o transporte dos milhões e milhões de reais foram flagrados pela Policia Federal NESTE MÊS.
    Essa corja que está presa TRABALHA para o Governo de Flávio Dino.
    No Governo de Jakson foram roubados cerca de TRINTA MILHÕES, no de Roseana foram roubados cerca de R$ 100 000 000,00 em Cinco anos e meio.
    Só nos dois anos e meio deste governo, já foram ROUBADOS mais de R$ 230 000 000,00.
    ACOOOOOOOORDA, larga mão de ser demente, cai na real.
    Eu não tenho BANDIDOS de estimação, mas ao que me parece, tu tens não só BANDIDOS de estimação, mas também, DONOS BANDIDOS.
    Quem defende bandido, bandido é.

  2. jonas vaquer disse:

    ÓRGÃOS DE SEGURANÇA DO PAÍS NÃO PODEM PERMITIR TAMANHO DEBOCHE. Os órgãos de segurança brasileiros não podem permitir o excesso de deboche, que é o que tem representado o empresário Joesley Batista. Este executivo pode, inclusive, ser surpreendido na hora de tentar embarcar aos Estados Unidos, e ser impedido de fazê-lo. Tudo que o povo brasileiro torce hoje é para que este estafador da população, antes de quebrar e colocar toda a sua fortuna no exterior — que é onde ele quer viver –, possa ser preso, para ao menos compensar o prejuízo que ele pode dar a este povo, via presidência.
    JORNAL DO BRASIL/JB

  3. Paulo Feitosa Arruda disse:

    Esse advogado é … e assessor de Sousa Neto junto com Sérgio Sena assessor de Andréa Murad tudo em família máfia organização criminosa. Tá na hora de para isso. Polícia federal neles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens