Fechar
Buscar no Site

Documento do BNDES comprova que Dino rejeitou a privatização da Caema

Um documento emitido pelo BNDES pedindo a revogação do processo de privatização da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), derrubou mais um factoide criado pela mídia ligada ao grupo Sarney com intuito de depreciar a gestão Flávio Dino (PCdoB).

Veja o documento PE-16-2017-Aviso-de-Intenção-de-Revogar

Veículos de comunicação comandados pela oligarquia divulgaram nesta terça-feira (12), a falsa notícia de que teria partido do governador, pedido para que a Caema fosse posta à venda por meio do Programa de Parcerias para Investimentos (PPI).

Entretanto, aviso de revogação de licitação expedido pelo BNDES no dia 5 de setembro de 2017, comunica justamente o contrário. O documento diz que o banco estaria anulando o processo de venda da Caema após solicitação do próprio Flávio Dino para “desconsiderar solicitação do projeto de desestatização dos serviços” da Caema.

Na verdade, a solicitação para que o BNDES estruturasse projeto que culminaria na venda progressiva da estatal maranhense, foi um pedido feito pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), que o atual governo teve que anular.

Caso Dino não pedisse a revogação da licitação, o banco daria início ao projeto de participação privada no fornecimento de água e esgotamento sanitário no estado, o que poderia representar o fim da estatal.

Outra versão

Em janeiro deste ano, Flávio Dino usou as redes sociais para afastar qualquer possibilidade de venda da companhia. “No meu mandato não haverá privatização da Caema”, disse.

O governador chegou a citar proposta feita pelo banco em realizar estudos para incrementar os serviços prestados pela Caema, sugestão que ele não desconsiderou de imediato, mas foi enfático ao dizer que a privatização da companhia estava fora de cogitação.

“O BNDES consultou-nos sobre o seu desejo de fazer estudos técnicos e sugerir eventuais caminhos para aumentar serviços de saneamento. No futuro, iremos debater esses estudos técnicos, desde logo excluindo hipótese de privatização da Caema, como já reiterei diversas vezes”, explicou Dino.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

4 respostas para “Documento do BNDES comprova que Dino rejeitou a privatização da Caema”

  1. Mandioca É DEFICIENTE INTELECTUAL disse:

    E ainda existe ludivicense deficiente intelectual como esse Mandioca que quer essa mulher de volta !!!

  2. Mandioca disse:

    MENTIRA desse farsante, MENTIRA, e quem acredita nas merdas que esse pilantra propineiro diz são os analfabetos que foram “agrarciados” com empregos de vigias e faxineiros para mamarem nas tetas magras desta vaca moribunda que está sendo escalpelada por dino e caterva.
    A nota abaixo está nos grande portais de noticias do Brasil .
    “Documento emitido no dia 5 de setembro pelo BNDES confirma o que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), passou tanto tempo tentando negar: partiu dele a solicitação para que a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) fosse incluída no Programa de Parcerias para Investimentos (PPI) com o objetivo de privatizá-la.
    A informação consta de um aviso do BNDES anunciando a intenção de revogar certame de contratação de empresa para realizar o serviço técnico para consulta e preparação de desestatização do órgão.”
    Qualquer vagabundo com mais de um neurônio pode constatar as informações acessando o site do BNDES.
    E tú John, com os mimos que recebes dessa quadrilha CONTINUAS acreditando em papai Noel?v

  3. Carlos disse:

    Querer é uma coisa ter ela de volta é outra coisa e, uma coisa impossível . hoje o Maranhão tem uma população informada não vive mais alienados pelos Sarneys que induzia o povo a acreditarapenas o que eles queriam que fosse verdade agora o povo abriu o olho e rosengana nunca mais . não ao retrocesso da oligarquia sim ao progresso com Flávio Dino

  4. Luiz disse:

    Se ele pediu desistência, é porque iniciou o processo.
    Eita que esse governador é muito do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens