Fechar
Buscar no Site

Anvisa interditará parte da Bahiafarma após reclamações sobre teste de dengue

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fará interdição cautelar na área de produtos para saúde do laboratório público Bahiafarma

A medida irá impedir a produção nesta área e foi realizada após reclamações de estados sobre a eficiência de teste rápido para dengue, chikungunya e zika, conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo. A agência realizou nesta semana inspeção no local, em parceria com a vigilância sanitária da Bahia.

O teste é comprado pelo Ministério da Saúde e distribuído ao Sistema Único de Saúde (SUS). O governo federal adquiriu cerca de R$ 120 milhões do produto em 2016 e R$ 160 milhões em 2017.

A interdição cautelar não levará ao recolhimento dos produtos nos estados. Também não há interdição na área de fabricação de medicamentos, como insulina.

JOTA apurou que foram encontrados desvios no controle de qualidade e feitas exigências de adequações à Bahiafarma. A resolução sobre a interdição cautelar deve ser publicada nos próximos dias no Diário Oficial da União (DOU).

A Bahiafarma afirmou nesta quinta-feira (7/2) que está “em processo de vistoria regular da Anvisa, no qual foram feitas algumas exigências – que serão cumpridas. Também afirmou que o “processo está em aberto para a empresa apresentar as respostas às exigências”.

A Bahiafarma também disse (íntegra da nota) que é incorreta a informação de que laudo do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) reprovou o teste vendido pelo laboratório público. Procurado, o instituto não se manifestou até a publicação deste texto.

 

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens