Fechar
Buscar no Site

Nos 406 anos, São Luís recebe de presente do Iphan e da Prefeitura Praça Dom Pedro II restaurada

A presidente do Iphan, Katia Bogéa e o prefeito Edivaldo entregaram à população da capital importante logradouro do Centro Histórico, totalmente reformado; ação integra agenda de celebrações pelos 406 anos de São Luís

Prefeito Edivaldo e autoridades durante a enrega da Praça Dom Pedro II Comemorando o aniversário de 406 anos de São Luís, a comunidade ludovisense teve mais um motivo para festejar. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Prefeitura Municipal entregaram, na noite de sexta-feira (07), totalmente restaurada, a Praça Dom Pedro II, um dos primeiros logradouros da cidade e um dos mais emblemáticos espaços para a memória e a história da capital maranhense, que é patrimônio cultural da humanidade. O ato de entrega da praça contou com as presenças da presidente do Iphan, Katia Bogéa, do prefeito Edivaldo e do superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary. A ação marca a ampla agenda de comemorações pelo aniversário dos 406 anos de cidade.

A obra teve como destaque a restauração da escultura Mãe d’Água Amazônica, que está de volta à praça após ser restaurada. A revitalização da praça integra um pacote de obras de mais de R$ 50 milhões que estão sendo executadas na área do Centro Histórico. O prefeito Edivaldo destacou o valor da obra para a preservação da memória e da história da cidade.

“A revitalização desta área tão emblemática para a nossa cidade, testemunha de tantos fatos marcantes da nossa história e grande referência do nosso patrimônio arquitetônico é, sem dúvida um grande presente para a popula ludovicense. Com a restauração de mais esse espaço visando à melhoria e preservação do nosso Centro Histórico, queremos também estimular o espírito de pertencimento na população, para que ela ame e se aproprie desses espaços. De forma que estamos imensamente felizes de entregar esse valioso presente às vésperas do aniversário da nossa cidade, que ganha um novo espaço restaurado, bonito e pronto para receber a visitação dos maranhenses e turistas”, afirmou Edivaldo que estava acompanhado da primeira-dama, Camila Holanda, do vice-prefeito, Julio Pinheiro e de secretário municipais.

Em seu pronunciamento o prefeito agradeceu a presidente do Iphan, Katia Bogéa e ao superintendente, Maurício Itapary, pela importante parceria. “Temos a alegria de junto com o Iphan entregar essa importante obra”, disse o prefeito.

A presidente do Iphan, Kátia Bogéa enfatizou a grandiosidade da obra para São Luís, “Estamos muito felizes de entregar a Praça Pedro II amplamente restaurada, no aniversario da cidade. É importante ressaltar que esse espaço não se trata de uma praça qualquer, pois, além de ser o primeiro logradouro público criado na capital, é também praça cívica com a presença de algumas das mais importantes instituições do estado. Além disso, aqui é o ponto de partida da visitação do turista que chega ao Centro Histórico. Eu agradeço imensamente a parceria com a Prefeitura de São Luís, porque, juntos, conseguimos esse excelente resultado de disponibilizar novamente à população esse espaço tão importante para a cidade”, observou Kátia Bogéa.

Ainda conforme a presidente do Iphan, agora reformada, a população tem que se apropriar de seu patrimônio e ser sua defensora. “Em São Luís, estamos desenvolvendo um projeto de restauração de espaços do Centro Histórico, com recursos da ordem de R$ 50 milhões, um esforço impressionante nesse momento de recessão econômica que vivemos no país”, frisou Kátia Bogeá, acrescentando ainda entre as obras que estão sendo executadas com esse recurso a restauração das praças Deodoro e Pantheon, as alamedas Gomes de Castro e Silva Maia, a Rua Grande e outras.

Presente ao ato de entrega da praça, o vice-prefeito de São Luís, Julio Pinheiro, pontuou os aspectos históricos da praça, que é considerada um dos antigos logradouros públicos da capital maranhense. “Mais uma grande obra que é parte de um conjunto de intervenções que o Iphan está realizando em parceria com a Prefeitura, promovendo um verdadeiro resgate desse espaço tão significativo para a cidade que o tem desde os primórdios de sua fundação. A valorização desse espaço mostra a preocupação da gestão do prefeito Edivaldo com a preservação da nossa história, nossa memória e nossa cultura”, ressaltou Julio Pinheiro.

O superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary, pontuou a importância do projeto de recuperação de um dos espaços, destacando ser esta uma obra de grande relevância para os maranhenses, por contribuir para o turismo e história da capital. “Trata-se de uma obra valorosa para o Centro Histórico de São Luís, considerando todos os pontos turísticos que estão localizados no entorno da praça e que são grandes atrativos à visitação pública. Queremos agora que a população nos ajude a preservar esse importante patrimônio, que estamos devolvendo à comunidade com todo o esplendor de ser um dos mais belos cartões-postais da nossa cidade que é reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade”, afirmou Itapary.

RESTAURAÇÃO

A recuperação dos passeios e canteiros, incluindo reparos na pavimentação em pedra portuguesa; os serviços de poda, remoção e plantio de espécimes vegetais; o refazimento de parte dos pisos cimentados e limpeza dos pisos; o acréscimo e a substituição de bancos e lixeiras; a reforma completa do chafariz, incluindo nova instalação de bombas, tubulações e iluminação são outros pontos relevantes da obra. Com a entrega da Praça Dom Pedro II, a população poderá usufruir novamente de um importante espaço público que é Patrimônio Cultural maranhense e referência em São Luís.

Situada na área escolhida por franceses, em 1612, para repouso, de acordo com o missionário Claude d’Abbevile, a primeira praça da futura cidade de São Luís, a praça começou a ganhar forma em 1821, após intervenções do Marechal Bernardo da Silveira Pinto de Fonseca. Em 1904, o largo constituiu-se em avenida, com a abertura de canteiros, passeios e alas, denominando-se Avenida Maranhense e, posteriormente, Avenida Dom Pedro II, onde fica a praça homônima.

É na Praça Dom Pedro II que estão as principais instituições administrativas: Palácio dos Leões (sede do Governo Estadual), Palácio La Ravardière (sede do Governo Municipal), Tribunal de Justiça do Estado e a Catedral Metropolitana. O espaço é, também, uma área de grande variedade estilística, edificações art nouveau, neoclássica e pombalina.

ESCULTURA

No início da década de 1950, a escultura da Mãe d’Água Amazônica foi instalada no local, que passou a ser identificado como Praça da Mãe d’Água. A escultura, premiada com a medalha de prata no Salão Nacional de Belas-Artes em 1940, foi a última obra do escultor maranhense Newton Sá, que faleceu no mesmo ano. Em 2005, a escultura foi retirada da praça e levada para o Museu Histórico e Artístico, onde foi restaurada, permanecendo até este ano.

Cristiane Serra destacou a beleza do espaço

A enfermeira Cristina Serra, 45 anos, veio à Praça Dom Pedro II exclusivamente para acompanhar a reinauguração de um espaço que para ela tem um significado todo especial. “Desde criança eu gosto de passear nessa praça e tirar foto No chafariz da Mãe d´Água. O espaço ficou belíssimo com a reforma, e hoje eu vim só para tirar uma nova foto, mas agora com a praça e a estatua restauradas”, disse a enfermeira.

O universitário David Costa, 20 anos, também enalteceu a restauração do espaço. “A praça está simplesmente bela, deixando o Centro Histórico da nossa cidade ainda mais lindo a atraente à visitação. Ações como esta nos dão muito orgulho porque embelezam nossa cidade a valorizam os espaços históricos que devem ser preservados”, disse.

Participaram também do ato de entrega da Praça Dom Pedro II, o secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, que no ato representou o Governo do Maranhão; o presidente da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), Aquiles Andrade; o presidente do Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur), Fábio Henrique: o presidente da Associação Comercial do Maranhão, Felipe Mussalém; o presidente do Sindicato das Indústrias de Construção Civil do Maranhão (Sinduscom), Fábio Nahuz; o diretor técnico das Canopus Engenharia, Breno Santiago; o diretor da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Celso Gonçalo; a reitora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Nair Portela e secretários municipais, entre outras autoridades políticas e empresariais locais.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens