EDUFMA é recordista em publicações encaminhadas à Biblioteca Nacional

A Editora da Universidade Federal do Maranhão (Edufma) é recordista em publicações encaminhadas à Biblioteca Nacional. A marca é decorrente de 112 exemplares publicados no ano passado pela universidade, totalizando 706 livros chancelados pela editora. Todas as obras seguem as normas do sistema International Standard Book Number (ISBN).

O índice alcançado pela Edufma supera a classificação imposta pela Associação Brasileira das Editoras Universitárias (Abeu), que tem, segundo o diretor da Editora da UFMA, Sanatiel Pereira, a média normal de publicações compreendida entre 14 a 26 exemplares por ano. “Fomos muito além da média prevista pela Abeu. O encaminhamento de mais de 100 livros em um ano é, sem dúvida, um marco para a universidade”, disse o diretor.

As normas que padronizam os livros da Edufma são definidas pelo ISBN, um sistema internacional capaz de identificar numericamente os livros segundo o título, o autor, o país e a editora. Utilizado também para identificar software, seu sistema numérico é convertido em códigos de barras, o que elimina barreiras linguísticas e facilita a circulação e comercialização das obras.

O primeiro livro chancelado pela Edufma e coordenado pela ISBN foi publicado em 1993. O recorde superado no ano do cinquentenário da UFMA reflete a preservação do registro e garante reconhecimento internacional à universidade, segundo Sanatiel Pereira.

Deputado Wellington percorrerá os 217 municípios “Ouvindo o Maranhão”

Vou percorrer os 217 municípios maranhenses”: o deputado estadual Wellington do Curso anunciou na tarde desta segunda-feira, 16, em entrevista concedida ao jornalista Diego Emir no programa Conversa Franca da Rádio Capital AM.

Na ocasião, o parlamentar falou que seu objetivo é ouvir as demandas mais urgentes da população, por isso vai retomar o programa “Ouvindo o Maranhão”. Esta é mais uma ação a ser promovida pelo seu gabinete.

Ainda durante a entrevista, Wellington abordou pontos importantes como mandato popular e a necessidade de ouvir e permanecer próximo da população maranhense.

Para nós, a participação popular é muito importante. Por isso, desde 2015, priorizamos esse contato direto com a população. Para 2017, priorizamos essas visitas, mas, dessa vez, percorreremos os 217 municípios maranhenses. Daremos continuidade ao ‘Ouvindo o Maranhão’, projeto que já resultou em proposições na Assembleia Legislativa. Ouvir a população, certamente, é o que enriquece o nosso mandato popular, além de transformar em ações que possam efetivamente transformar a vida da população do nosso estado”, disse Wellington.

OAB INGRESSA COM DUAS AÇÕES CONTRA AUMENTO DO ICMS NO MARANHÃO

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão (OAB-MA), protocolou duas ações no Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) pedindo a revogação da Lei nº 10.542, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) no dia 15 de dezembro do ano passado.

Na prática, o novo dispositivo aumenta alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de vários produtos e serviços no estado.

A entidade alega inconstitucionalidade da lei e vícios no processo de aprovação da matéria pelos deputados estaduais e por isso protocolou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) com pedido de liminar no Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) e uma Ação Civil Pública, também com pedido de liminar, na Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís.

Todas as ações têm o apoio dos conselhos regionais de Contabilidade e de Economia e da Associação Comercial do Maranhão (ACM).

Na ADI, a Ordem demonstra que a majoração da alíquota de ICMS sobre produtos essenciais como energia elétrica, comunicação e combustíveis viola o princípio tributário da seletividade do ICMS, porque que o torna mais oneroso, ou tão oneroso quanto o pago sobre produtos considerados supérfluos como fumo, bebidas alcoólicas, embarcações de esportes e de recreação.

Já na Ação Civil, a instituição aponta vícios no processo de aprovação da lei na Assembleia Legislativa, com destaque para a falta do período de publicidade necessária da lei para debate entre os deputados e para o fato de que a lei altera dispositivos legais inexistentes ou já revogados anteriormente.

Além das violações constitucionais e legais apontadas na ações que ingressamos (ADI e ACP), considero equivocado e abusivo o aumento da alíquota de ICMS pelo Estado do Maranhão neste momento de severa crise econômica e alarmantes índices de desemprego. Entendo que o pagamento de tributo pressupõe a existência de renda, e não vi nos últimos tempos qualquer aumento da renda dos cidadãos e empresas maranhenses a justificar que se aumente ainda mais a já elevada carga tributária de nosso estado. Não podemos correr o risco de quebrar nossas empresas e gerar ainda mais desemprego” afirmou Thiago Diaz.

Aumentos

O novo dispositivo provocará, a partir de março, aumentos nas contas de luz, de combustíveis, de cigarros e de serviços como telefonia e TV por assinatura.

Os maiores impactados pela lei que passará a vigorar dentro de dois meses são os consumidores residenciais de energia elétrica. Pelo novo texto da Lei 7.799/2002, quem consome até 500 quilowatts-hora por mês pagará não mais 12% de ICMS, mas 18% – aumento de 50% na alíquota.

Quem consome mais – acima de 500 quilowatts-hora/mês – também terá custo maior: a alíquota do imposto subirá de 25% para 27%. Nesse caso, foi criado um novo inciso específico.

O governo reajustou, ainda, as alíquotas de álcool e gasolina, que passaram de 25% para 26%. O óleo diesel ficou de fora do aumento.

A importação de fumos e seus derivados será taxada em 27% e não mais em 25% o que deve refletir no preço do cigarro comercializado no estado. E os serviços de telefonia e de TV por assinatura também devem subir, já que a alíquota nesses casos passará de 25% para 27%.

Filme de cineasta maranhense é selecionado para festivais internacionais

O filme “Walter do 402”, do premiado realizador Breno Ferreira, estreou em outubro de 2016 no BRAFFTV/Canadá, além de ter sido selecionado para os festivais London Monthly Film Festival e Themodcon London Film Festival, ambos na Inglaterra, e o Short to the Point, na Romênia, onde foi premiado com o prêmio especial do júri.

Essa semana, a produtora recebeu a notícia da seleção de Walter do 402 para os festivais LOVE SHORTS FILM FESTIVAL e o DRAMATIC SHORTS FILM FESTIVAL nos Estados Unidos.

Produzido pela Dom 21 Filmes, o trabalho ainda é inédito no Brasil.


A temática abordada em “Walter do 402” – em tons comi-trágicos – é a solidão na terceira idade, no bairro de Copacabana. O filme conta a história de Walter, um idoso, rabugento, que sofre com sua solidão e vê no suicídio a única saída.

Já sua vizinha, a também solitária Vera, deseja conhecer o Walter, pois tem a esperança de que ele seja a companhia que precisa. Ela tenta conquistar Walter usando o talento que tem na cozinha, levando para ele pedaços de bolo. Ele parece não se interessar por Vera. Entre os dois, há o porteiro Zezinho, jovem Don Juan que não enxerga problema algum em viver sozinho.

No elenco do filme, nomes como Antonio Petrin, Alcione Mazzeo, Gustavo Arthiddoro, Daniela Fontan, Aracy Cardoso, Cinara Leal e Pritty Borges.

 

Breno Ferreira, graduado em Comunicação Social pelo UniCEUMA, começou a carreira aos 20 anos, após participar de uma oficina de roteiro com o professor Murilo Santos. Com seu vídeo de estreia, “O Ganhador“, arrebatou de forma inédita 6 premiações no 25º Festival Guarnicê de Cinema.

 

Prefeito Edivaldo determina redução do Carnaval de São Luís

O prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT), já demonstrou que não gosta da cultura popular. Nos últimos quatro anos, ele nunca participou da abertura das festividades momescas e no primeiro ano do seu mandato ainda cancelou o Carnaval. Em 2017, as manifestações culturais vão sofrer um duro golpe novamente.

O chefe do Palácio do La Ravardiere mandou comunicar que esse ano em São Luís só vão ser três dias de festa.

Edivaldo determinou que ocorram cortes na programação da passarela, conforme informações da SECULT. O prefeito não quer desfiles na sexta-feira (24) gorda e na terça-feira (28), último dia dos desfiles. Na sexta, a programação marca a entrega da chave da cidade à corte momesca, passagem de tribos de índios, turmas de samba, e o concurso dos Blocos Tradicionais do Grupo B.

O anúncio foi feito em reunião realizada na terça-feira (10), na sede da Secretaria de Cultura do Município, por meio do subsecretário de Cultura, o publicitário Marlon Botão (PT), da qual participaram os representantes da entidades, além de dirigentes dos Blocos Tradicionais, dos grupos A e B.

Segundo Marlon Botão, a forte crise que afeta os cofres públicos, e em especial da Prefeitura de São Luís, seria a causa do corte de dois dias no carnaval de passarela. “A nossa proposta é que os desfiles da sexta-feira, ocorram no sábado, antes da passagem dos Blocos Tradicionais, o que ocasionaria uma marota de desfiles de mais 30 blocos tradicionais”.

A prefeitura de São Luís é responsável pela programação do Carnaval de passarela

Conforme o secretário de Governo, Lula Fylho (PCdoB): “nenhuma atividade será preterida. Todas terão seus espaços. Agora, a passarela nós somos obrigados a diminuir a quantidade de dias. É necessário que haja um esforço de todos para que consigamos manter o carnaval. Nesse momento de crise em que vários municípios estão cancelando seus carnavais a nossa cidade está garantindo que as festas momescas ocorram”.

Vale lembrar que a prefeitura de São Luís é responsável pela programação do Carnaval de passarela, já o governo estadual fica com a organização da festa na rua. Por conta dessa divisão é que está se apontando a redução do Carnaval de São Luís para três dias, afinal Edivaldo é responsável pela Passarela do Samba a qual só funcionará de sábado (25) a segunda (27).

*Com informações do jornalista Joel Jacinto

Papa: “depositar a esperança em Deus, não nos falsos ídolos”

Sua Santidade, o papa Francisco, se reuniu com cerca de seis mil fiéis na Sala Paulo VI para a Audiência Geral desta quarta-feira, 11 de janeiro.

Durante sua catequese, o Pontífice deu continuidade ao ciclo sobre a esperança cristã, advertindo desta vez sobre as falsas esperanças depositadas nos ídolos de que fala o Salmo 115.

Esperar é uma necessidade primária do homem“, explicou o Papa. “Mas é importante que esta esperança seja colocada em quem verdadeiramente possa ajudar a viver e dar sentido à nossa existência. Diante das dificuldades da vida, podemos sentir a tentação de buscar consolações efêmeras para preencher o vazio da solidão. O perigo está em buscar uma segurança imediata. E nos iludimos de poder encontrar segurança no dinheiro, nas alianças com os poderosos, na mundanidade e nas ideologias. Estes são os falsos ídolos“.

Mas nós gostamos dos ídolos”, constatou Francisco, contando que em Buenos Aires, quando atravessava um parque para ir de uma igreja a outra, via inúmeros cartomantes. “Faziam até fila”, lembrou. “Você dá a mão e ouve: há uma mulher na sua vida, tem uma sombra, mas tudo acabará bem. Isso dá segurança”, disse o Papa. “É a segurança de uma estupidez. Este é o ídolo. ‘Ah, fui na cartomante e ela leu as cartas’. Sei que ninguém de vocês faz isso”, brincou Francisco com os fiéis. “Você paga para ter uma falsa esperança: compramos falsas esperanças” ao invés de confiar na esperança da gratuidade de Jesus.

Deste modo, reduzimos Deus aos nossos esquemas e ideias de divindade: um deus à nossa medida, que satisfaz as nossas exigências e intervém magicamente para mudar a realidade e torná-la como a queremos. Neste caso, o homem, feito à imagem de Deus, fabrica um deus à sua própria imagem e uma imagem mal acabada.

“Mas ficamos mais felizes em confiar nos falsos ídolos do que esperar no Senhor”, lamentou mais uma vez o Papa. À esperança no Senhor da vida, contrapomos a confiança em imagens mudas. Quando se tornam ídolos aos quais tudo se sacrifica, disse ainda o Pontífice, valores como o sucesso, o poder ou a beleza física confundem a mente e o coração e, em vez de favorecer a vida, conduzem à morte. Francisco citou o exemplo de uma mulher, muito bonita, que contava – como se fosse natural – que fez um aborto para preservar a beleza. “Estes são os ídolos que o levam para o caminho errado e não levam a lugar nenhum.”

Por isso, a mensagem do Salmo é clara. Se depositarmos a esperança nestes ídolos, ficaremos como eles: imagens vazias, com mãos que não tocam, pés que não caminham e bocas que não falam. Não temos nada para dizer, tornamo-nos incapazes de ajudar, mudar as coisas, sorrir, doar-se e amar. E também os homens de Igreja correm este risco quando se ‘mundanizam’: “É preciso estar no mundo, mas defender-se das ilusões do mundo”.

Concluindo, o Papa recordou que a esperança em Deus jamais desilude. “Já os ídolos desiludem sempre. São fantasias, não realidades.” Se depositarmos a nossa esperança em Deus, vamos nos tornar como Ele, partilhando a sua vida e irradiando a sua bênção. “E neste Deus confiamos. E este Deus, que não é um ídolo, jamais desilude”.

OAB-MA TEM ANUIDADE MAIS BARATA DO BRASIL

Atento a alta inflação dos últimos anos, e levando em conta a crescente necessidade de cursos e de serviços a serem prestados pelas seccionais da OAB, o Conselho Federal da OAB propôs a recomposição inflacionária da anuidade a contar de 2013, o que importaria, em um acréscimo de 28,54%.

No entanto, sensível a crise econômica pela qual passa o país e às dificuldades financeiras pelas quais passam boa parte dos advogados maranhenses, a OAB-MA, que já havia reduzido em 15% o valor da anuidade no começo de 2016, resolveu atualizar tão somente a inflação do último ano, fixando a anuidade abaixo do valor sugerido pelo Conselho Federal, passando esta a ser no importe de R$ 718,59 (setecentos e dezoito reais e cinquenta e nove centavos).

Destaca-se que o valor da anuidade de 2017 pode ser reduzido ainda mais, pois por meio da Resolução nº003/2016 que “Fixa o valor da anuidade para o ano de 2017, definindo critérios de parcelamento e descontos”, ficou estabelecido descontos de 10% para pagamento até o dia 31 de janeiro de 2017 no valor de R$ 646, 73 (seiscentos e quarenta e seis reais e setenta e três centavos) e 5% para pagamento até o dia 28 de fevereiro no valor de R$ 682,66 (seiscentos e oitenta e dois reais e sessenta e seis centavos).

Importante destacar que a atitude da OAB/MA faz com que a partir de 2017, a anuidade dos advogados maranhenses, que até 2015 era uma das mais elevadas do País, passe a ser a mais barata dentre todas as Seccionais. Ou seja, em 2017 os advogados maranhenses terão a menor anuidade do Brasil.

Para o presidente da OAB-MA, Thiago Diaz, “apesar da necessidade de correção inflacionária, não podíamos deixar de estar atentos às dificuldades dos advogados maranhenses, de modo que se mostrou imprescindível agirmos para que a OAB/MA passa-se a ser a menor anuidade do Brasil. E que os colegas tenham certeza que apesar disso continuaremos, com a seriedade, responsabilidade e coerência na aplicação dos recursos, a propiciar diversos benefícios a estes, tais como: educação continuada, programas que auxiliam nas rotinas do profissional como cursos do PJe, além de serviços de cultura, lazer e transporte”, explicou Diaz.

O profissional terá até o dia 31 de março de 2017 para efetivar o pagamento da anuidade cheia, no valor de R$ 718,59 (setecentos e dezoito reais e cinquenta e nove centavos).

Para os estagiários, o valor fixado foi de R$ 359,30 (trezentos e cinquenta e nove reais e trinta centavos). Até a data de vencimento fica facultado ao advogado ou estagiário, o pagamento parcelado em até 06 (seis) parcelas mensais no boleto bancário ou em até 10 (dez) parcelas mensais no cartão de crédito. Nesses casos, não haverá incidência de qualquer desconto sobre o valor da anuidade e o parcelamento não pode ser estendido para além do mês de dezembro de 2017. Outro critério para o parcelamento em até 06 (seis) vezes, é que o advogado ou estagiário deverá requerer e pagar a primeira parcela até o dia 31/03/2017.

Os advogados com inscrição originária e com menos de dois anos de inscrição e os profissionais que aderiram ao Programa de Incentivo disciplinado pela Resolução nº 003/2010 terão descontos especiais.

Papa Francisco no 1º Angelus de 2017: ” não-violência para uma política de paz”

Cidade do Vaticano – Ao meio dia de Roma, neste primeiro dia do novo ano 2017, o Santo Padre procedeu a celebração mariana do Angelus na Praça São Pedro, repleta de peregrinos e fiéis provenientes de diversas partes do mundo para a bênção do papa neste dia especial de solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, e dia mundial da paz.

fazendo referência ao Evangelho deste domingo, o Papa Francisco concentrou a sua mensagem sobre a estreita relação que existe entre o “sim” de Maria, Mãe de Deus, e o mistério da encarnação, o nascimento em Belém do Menino Jesus que os nossos olhos contemplaram nestas festividades natalícias e os pastores adoraram como Filho de Deus, o Salvador, o Príncipe daquela Paz que celebramos neste dia 1 de Janeiro de 2017.

“Deus pediu a Maria para ser não somente a Mãe do seu Filho Unigênito, mas de cooperar também com o próprio Filho na realização do plano da salvação, por forma a que através dela, serva humilde, cumpram-se as grandes obras da misericórdia divina. Daí que hoje, primeiro dia do novo Ano 2017, como os pastores de Belém, enquanto contemplamos, disse o Papa, a ícone do Menino deitado nos braços da sua Mãe, sejamos capazes de sentir crescer nos nossos corações, um sentido de imensa gratidão para com Aquela que deu ao mundo o Salvador: Obrigado, ó Santa Mãe do Filho de Deus Jesus! Obrigado pela tua humildade, pela tua fé, pela tua coragem! Rezai por nós, peregrinos no tempo, ajudai-nos a caminhar nas sendas da paz ! Ámen” disse o romano pontífice.

Após a recitação da oração mariana do Angelus, o santo padre Francisco, dirigiu-se, mais uma vez, aos presentes congregados na Praça São Pedro, recordando que o ano 2017 que estamos a iniciar hoje, “só será bom, na mediada em que cada um de nós, com a ajuda de Deus, procurará fazer o bem, dia após dia. Só assim  se constrói a paz, dizendo “não” mediante factos concretos, ao ódio e à violência; e dizer “sim” à fraternidade e à reconciliação”.

O papa recordou que passaram cinquenta anos, desde que o seu predecessor, Papa Paulo VI, inaugurou a celebração do Dia Mundial da Paz, que também celebramos hoje, com o objectivo de reforçar o empenho comum e pessoal de construir um mundo pacífico e fraterno.

“Na mensagem deste ano,  propus de assumir a não-violência como estilo para uma política de paz”. Mas infelizmente, constatou o Pontífice, a violência foi, mais uma vez, protagonista nesta noite de augúrios e de esperança mediante um grave atentado em Istambul, na Turquia. E o Papa exprimiu a sua proximidade na oração aos defuntos e aos seus familiares, aos feridos e à todo o povo turco” disse o Papa.

Francisco agradeceu em seguida o Presidente da República italiana pelos augúrios de bom ano que lhe dirigiu, ao mesmo tempo que exprimiu a sua gratidão “por tantas iniciativas de oração e de empenho para a paz que se realizam em todos os cantos do mundo inteiro”.

Neste sentido, Francisco saudou, de modo particular os participantes da manifestação “Paz por toda Terra”, presentes na Praça São Pedro: “Obrigado pela vossa presença e pelo vosso testemunho. E a todos, Francisco augurou um ano de paz na graça do Senhor, com a protecção materna de Maria, Mãe de Deus. Boas Festas, e por favor, não esqueçais de rezar por mim. Bom almoço e até breve”, concluiu o Santo Padre.

Liturgia católica: Editora Paulus altera texto em folheto da Missa de Natal de maneira herética

Os fiéis que assistirão a Santa Missa neste Domingo de Natal terão a infelicidade de contemplar mais uma travessura da editora Paulus. A editora, que tem o prazer de destruir o rito romano com seus folhetinhos litúrgicos, desta vez, grita sua guinada vexaminosa à apostasia.

Folheto O Domingo, da Editora Paulus, com o texto hereticamente adulterado das Kalendas de Natal

Cabe aos párocos, curas das almas, e às equipes de liturgia das paróquias no Brasil, saberem identificar esse abuso blasfemo e não compactuarem com a tentativa de destruição do que há de mais sagrado na Igreja, sua “lex orandi”.

A edição de “O Domingo” e da “Liturgia diária” (pag 80) do dia 25/12/2016 traz uma ingrata surpresa ao anúncio do Natal. O piedoso e antiquíssimo texto das “Kalendas”, que narra o momento histórico do nascimento de Cristo, foi substituído, ou, nas palavras da editora, “inculturado”.

Sua Excelência Reverendíssima, Dom Henrique Soares da Costa, bispo diocesano de Palmares-PE, uma “chama de esperança” neste “vale de lágrimas”, pronunciou-se sobre o assunto em suas redes sociais:
Ainda sobre as kalendas adulteradas arbitrariamente

Aos Amigos que frequentam este espaço, explico o porque a alteração no texto das kalendas não poder ser aceita.

O bispo Dom Henrique Soares da Costa esclarece sobre o tema

Primeiro, por um motivo bem simples: não compete a nenhum pretenso liturgista ou teólogo alterar arbitrariamente os textos litúrgicos da Igreja. Nas celebrações litúrgicas os textos utilizados devem ser aprovados por quem de direito: a Sé Apostólica e, em certos casos, o Bispo diocesano. Liturgista, verdadeiro ou pretenso, não é moderador da Liturgia da Igreja!

Um especialista em Liturgia que se arrogasse este direito mostraria que não compreendeu sua função na Igreja. Muitas vezes o Magistério já tratou deste problema mas, por triste ideologia, muitos ignoram a constante exortação da Igreja! É enorme a lista de abusos e absurdos cometidos em nome das ideias mais imprecisas e extravagantes imagináveis!

Nunca esqueçamos: a Liturgia pertence a todo o Povo de Deus, é oração da Igreja e ninguém tem o direito de impor sua visão e seu gosto à lex orandi, ao modo de rezar da Assembleia que se reúne como Igreja para a oração litúrgica!

Em segundo lugar, olhando com cuidado o texto das kalendas do Natal do Senhor, pode-se observar ali os dados da cultura judaica e da cultura clássica ocidental, greco-latina:
– aparece a referência às olimpíadas da Grécia Antiga,
– a concepção cristã antiga agostiniana da história universal repartida em seis idades do mundo: (1) de Adão a Noé; (2) de Noé a Abraão; (3) de Abraão a Davi; (4) de Davi ao Exílio da Babilônia; (5) do Exílio ao Advento de Jesus Cristo; (6) da Natividade de Nosso Senhor em diante.
– a referência à concepção clássica da Pax Romana, a Paz de Augusto, Imperador da época do nascimento do Senhor: período de 28 aC a 180 dC, dois séculos de relativa paz interna no Império. Segundo opinião geral dos antigos autores cristãos, este longo período de paz bélica foi obra da Providência divina, pois facilitou em muito a difusão do cristianismo.

É importante ter presente que no nascimento e estruturação do cristianismo, as duas culturas citadas nas kalendas, cultura judaica e greco-latina, tiveram uma importância fundamental; e os cristãos sempre consideraram também isto uma obra da Providência de Deus. Se no texto autêntico aparecem somente estas duas expressões culturais é porque foram elas que diretamente contribuíram para o nascimento do cristianismo.

Por outro lado, é verdade que nas demais culturas há elementos louváveis, ação do Espírito do Cristo Jesus; esses elementos são uma preparação para o Evangelho. Mas, todas as culturas têm também tremendas marcas de pecado e necessitam da purificação evangélica. Nenhuma cultura é absoluta!
Note-se: De modo algum é heresia o que foi acrescentado indevidamente às kalendas; mas, além de uma usurpação indevida de um texto da Igreja, é arbitrário e inconveniente: as culturas ali citadas são evocadas em elementos religiosos e em tom de louvação cultural! Pode observar que o texto original é muito mais sóbrio e prudente: faz somente referências históricas à cultura clássica, sem avaliações morais ou religiosas!

Na verdade, no texto adulterado há uma tendência acrítica de ver nessas culturas pagãs uma revelação de Deus. E isto está errado! Revelação em sentido técnico, estrito, deve ser reservado somente para a revelação no contexto bíblico da história sagrada. Existe, nessas kalendas adulteradas, uma confusão entre história da salvação e história da revelação que leva, inapelavelmente, ao relativismo religioso!

Não se pode, do ponto de vista teológico, exaltar na Liturgia a cidade dos deuses dos índios das Américas nem aclamar o Buda, o Iluminado! Nada disto pode ser tomado teologicamente como revelação divina! O Concílio Vaticano II e o Magistério perene da Igreja jamais ensinaram isto!

Todas estas religiões, no que têm de bom, preparam para o Cristo (praeparatio evangelica)!

Só o Cristo Jesus é o Salvador, só Ele é a plenitude da Salvação; e o que qualquer realidade humana, qualquer religião tenha de salvífico é somente porque prepara para Ele e somente naquilo que prepara para Ele e a Ele se refere!

Uma terceira observação: Se é verdade que tudo quanto de bom e louvável existente na humanidade em qualquer cultura ou época histórica é obra do Espírito do Cristo Jesus e conduz a Cristo Jesus (semina Verbi), também é preciso deixar claro que somente Jesus é o Verbo, a segunda Pessoa divina da Santa Trindade que veio pessoalmente a nós, unindo-Se hipostaticamente (de modo real e pessoal) à nossa humanidade!

O cristianismo não é uma religião entre outras nem uma religião como as outras! Respeitando profundamente todas as tradições religiosas naquilo que elas têm de bom, verdadeiro e belo, os cristãos apontam para Jesus nosso Senhor como único Caminho, Verdade e Vida da humanidade. O caminho e critério da humanidade não é alguma cultura ou alguma religião e, muito menos, uma sopa de religiões; o Caminho e o Critério é Jesus nosso Senhor! E é triste que dois mil anos depois muitos cristãos tenham perdido esta certeza e este fundamento!

Infelizmente, o horizonte das adulterações das kalendas não é este, da singularidade absoluta de Cristo, mas sim o de um falso e deturpado pluralismo religioso que considera todas as religiões verdadeiras (e falsas) do mesmo modo.

Com toda a franqueza: se isto fosse verdade, seria melhor deixar pra lá nossa fé e cuidar de outra vida! Sugiro a leitura da Declaração Dominus Iesus, do ano 2000, que tanta crítica e ira despertou em tantos na Igreja, tão somente porque recordou a verdade pura, simples e cristalina da Escritura, dos Apóstolos, dos Padres da Igreja, do Concílio Vaticano II retamente interpretado e da fé perene do Povo de Deus…

Uma última coisa, muito importante: Estas explicações não são para polêmicas nem reações enraivecidas e pouco cristãs. São para informar e formar o Povo de Deus na reta fé católica!

Às vezes, os comentários feitos por alguns caros Amigos extrapolam seja a lógica, seja a caridade em Cristo! Cuidado! Cuidemos! A verdade não se impõe no grito nem na grosseria, mas na firmeza suave e na caridade forte!

Não aconteça que para defender o Evangelho se traia o Evangelho!
Paz! Feliz Natal a todos!
Que o Deus nascido da Virgem tenha piedade de nós pela Sua santa e salvífica Vinda!”

Somente Jesus Cristo é Eterno Deus, Filho eterno do eterno Pai, Senhor do tempo e da História, faz-se homem por obra do Espírito Santo e nasce da Virgem Maria

Segundo a editora, a adulteração do texto foi  obra do “liturgista católico” e teólogo (!!!!) Marcelo Barros. Uma obra lamentável!

Com a infame desculpa de “inculturação”, houve a mistura de alhos com bugalhos, isto é, em pleno Natal, quando o centro deve ser o nascimento de Jesus e a consequente redenção do mundo, para os que n’Ele crerem, pasme-se, são apresentados os “nascimentos” (datados?!) da cultura de Buda e Lao-Tsé. Ainda pior, por “obra” do Espírito Santo as duas figuras são adjetivadas como o “iluminado” e sinal de esplendor, para a Índia e China, respectivamente.

Total desorientação para os católicos do Brasil será o resultado deste folheto. As sagradas escrituras, O Magistério e a Tradição afirmam única e tão somente a Revelação Divina em Jesus Cristo.

Não é lícito – com a desculpa do diálogo ecumênico – comparar o Verbo Encarnado a falsos profetas. O Espírito Santo que fecundou o ventre virginal de Maria Santíssima não é o mesmo que “inspirou” Buda, Lao-Tsé, os filósofos gregos… NÃO É.
Denuncie-se esse abuso!

Antiquíssimo texto das Kalendas cantado na Vigília de Natal com o santo padre, o papa Francisco, na Basílica Vaticana:

 

 

Papa Francisco sai do Vaticano para comprar sapatos

Roma – O santo padre, papa Francisco, surpreendeu funcionários e clientes de uma loja de artigos ortopédicos em Roma, onde foi comprar pessoalmente uns sapatos novos.

Como já tinha feito no ano passado, quando se deslocou a um oculista para comprar uns óculos novos, o papa comprou na terça-feira à tarde uns sapatos ortopédicos numa loja da Via Gelsomino.

Os funcionários da loja e outras pessoas que se encontravam no estabelecimento divulgaram nas redes sociais imagens do papa a cumprimentar os presentes, tirar fotos e abençoar um crucifixo.

No ano passado, o papa já havia abismado a romanos e turistas quando se deslocou a um oculista, no centro histórico de Roma, para renovar os seus óculos.

Página 1 de 12712345...102030...Última »